domingo, 15 de maio de 2016

Interpretação de cartum MAITENA | Período composto

Leia o cartum abaixo para responder às questões 1 e 2.

1. O cartum é um desenho que satiriza comportamentos humanos para promover uma reflexão crítica por meio do humor. Qual é a situação satirizada no cartum de Maitena?
> Marido e mulher têm uma visão divergente sobre a viagem que fizeram. Explique por quê. 

2. Releia a fala em que o homem relata o que fizeram. Que recurso gramatical foi usado, no texto, para criar no leitor a impressão de que a viagem feita pelo casal teve um ritmo frenético? 
> Explique de que modo esse recurso produz o efeito de sentido pretendido. 


Leia este outro cartum, da mesma autora, para responder às questões de 3 a 5.

3. Qual é a situação satirizada por esse cartum? 
a) A fala da primeira senhora traz uma opinião implícita sobre a atividade artística. Qual é ela? 
b) Que expressão, no texto, confirma essa opinião implícita? Por quê? 

4. A fala da mãe reconstrói, para a amiga, diferentes reações que ela teve ao saber da ocupação do namorado da filha. Qual foi a primeira reação? O que a justifica? 
> Qual foi a segunda reação? O que, no texto, permite identificá-Ia? 

5. Leia novamente os trechos a seguir. 

1º cartum
"Fomos a todos os museus, [...] provamos os pratos mais exóticos, caminhamos, tiramos fotos, filmamos, visitamos parentes, amigos [ ... ]." 

2º cartum 
"Quando minha filha me disse que o namorado se dedicava à pintura, eu me acalmei porque imaginei outra coisa, entendeu?" 

a) Observe a maneira como as orações estão organizadas em cada caso. Em qual dos trechos é possível identificar independência entre as orações? 
b) No trecho em que algumas orações apresentam dependência de outras, que termos estabelecem vinculas entre as diferentes orações? 

A comparação entre as estruturas sintáticas presentes nos dois textos nos leva a uma constatação importante sobre a maneira de organizar as orações no interior dos períodos: a depender das intenções do falante, a articulação das orações pode ser feita para criar vínculos sintáticos entre diferentes informações que se tornam dependentes umas das outras. Pode também ser adotado um outro modo de apresentar as informações, mantendo a independência sintática das orações

Gabarito:

1) Maitena satiriza as viagens de turismo em que as pessoas passam o tempo todo correndo de um lado para o outro, tentando ver todas as "atrações" do lugar para onde viajaram. 
> Enquanto o marido conta, excitado, todas as visitas e passeios feitos, a mulher demonstra sua insatisfação por não ter tido tempo de fazer compras. O que fica evidente é que os dois tinham expectativas muito diferentes em relação à viagem. 

2) O recurso gramatical é a apresentação de uma série de ações nomeadas por verbos (fomos, provamos, caminhamos, tiramos [fotos].filmamos, visitamos). 
> Como todas as ações nomeadas vêm apresentadas em sequência na fala do marido, separada somente por vírgulas, a impressão que essa estrutura provoca é a do encadeamento incessante de atividades em um breve espaço de tempo, quase como se o casal não tivesse tido oportunidade para descansar. 

3) O cartum tematiza o fato de o namorado da filha de uma das senhoras não ter um "trabalho" regular. Ele é um artista. 
a) Quando diz que se acalmou ao saber que o namorado da filha se dedicava à pintura e, depois, explica ter imaginado que ele era um pintor de apartamentos, a primeira senhora deixa implícita a sua opinião negativa sobre a atividade artística. Para ela, dedicar-se à pintura não é um "trabalho". 
b) "Que trabalhava!". Essa expressão, associada ao comentário anterior (explicação de que imaginava que o namorado fosse um pintor de apartamentos), deixa claro que, para ela, pintura artística não é um trabalho. O uso do pretérito imperfeito do verbo reforça essa ideia. 

4) A primeira reação foi de calma, quando a filha informou que o namorado se dedicava à pintura. Essa reação é justificada pelo fato de a mãe supor que o rapaz é pintor de paredes. 
> A segunda reação foi a de preocupação, quando descobriu que o rapaz era pintor de quadros. O que permite identificar tal reação é o comentário sobre ter "imaginado outra coisa" a respeito da ocupação do rapaz, que a teria deixado tranquila. Como sua conclusão inicial estava equivocada, podemos 
imaginar que ela não tinha motivos para continuar tranquila. 

5.
a) No primeiro trecho. 
b) As conjunções quando, que, porque. 



Referência: Português - Contexto, Interlocução e Sentido | Editora Moderna
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...