Exercícios sobre Triste fim de Policarpo Quaresma



Leia um trecho de Triste fim de Policarpo Quaresma, em que Olga visita o padrinho Policarpo no sítio Sossego. 

[...] O que mais a [Olga] impressionou no passeio foi a miséria geral, a falta de cultivo, a pobreza das casas, o ar triste abatido da gente pobre. Educada na cidade, ela tinha dos roceiros ideia de que eram felizes, saudáveis e alegres. Havendo tanto barro, tanta água, por que as casas não eram de tijolos e não tinham telhas? Era sempre aquele sapê sinistro e aquele sopapo que deixava ver a trama de varas, como o esqueleto de um doente. Por que ao redor dessas casas não havia culturas, uma horta, um pomar? Não seria tão fácil, trabalho de horas? E não havia gado, nem grande nem pequeno. Era raro uma cabra, um carneiro,. Por quê? [...] Não podia ser preguiça só ou indolência. [...] 

Lima Barreto. Triste fim de Policarpo Quaresma.

I. O trecho ressalta a surpresa de Olga em relação à condição de pobreza dos trabalhadores rurais e ao estado de abandono das terras. 
II. Olga atribui à indolência e à falta de energia dos moradores do campo o desolamento da paisagem. 
III. Apresenta-se no texto o contraste entre a visão idealizada dos habitantes da cidade e a dura realidade do campo. 

Está correto o que se afirma: 
a) somente em I. 
b) somente em II.. 
c) somente em III. 
d) somente em I e II. 
e) somente em I e III. 

2. Identifique a alternativa incorreta, em relação ao texto abaixo. 

Desde dezoito anos que o tal patriotismo o absorvia e por ele fizera a tolice de estudar inutilidades. Que lhe importavam os rios? Eram grandes? Pois que fossem... Em que lhe contribuiria para a felicidade saber o nome dos heróis do Brasil? Em nada... O importante é que ele tivesse sido feliz. Foi? Não. Lembrou-se das suas coisas de tupi, do folclore, das suas tentativas agrícolas... Restava disso tudo em sua alma uma satisfação? Nenhuma! Nenhuma! [...] 
A Pátria que quisera ter era um mito; era um fantasma criado por ele no silêncio do seu gabinete. [...] 

a) O trecho foi transcrito da obra Triste fim de Policarpo Quaresma, de Lima Barreto. 
b) No final da narrativa, o personagem faz um balanço dos seus esforços e percebe que se perdeu em questões inúteis. 
c) O personagem, ao rever suas tentativas passadas, refaz o conceito que tinha de pátria. 
d) Embora, no final da narrativa, o personagem questione o conceito de pátria, o sentimento patriótico exagerado não altera a visão que o major tinha da sociedade brasileira. 
e) O trecho revela um momento de profunda desilusão com a pátria e extrema lucidez do personagem em relação à sociedade brasileira. 

3. (UFRRJ) Leia o fragmento de Triste fim de Policarpo Quaresma. 

Policarpo era patriota. Desde moço, aí pelos vinte anos, o amor da Pátria tomou-o todo inteiro. Não fora o amor comum, palrador e vazio; fora um sentimento sério, grave e absorvente. [...] o que o patriotismo o fez pensar, foi num conhecimento inteiro de Brasil. [...] Não se sabia bem onde nascera, mas não fora decerto em São Paulo, nem no Rio Grande do Sul, nem no Pará. Errava quem quisesse encontrar nele qualquer regionalismo: Quaresma era antes de tudo brasileiro. 

Lima Barreto. Triste fim de Policarpo Quaresma. 
São Paulo: Scipione, 1997. 

Este fragmento de Triste fim de Policarpo Quaresma ilustra uma das características mais marcantes do Pré-Modernismo que é o: 

a) desejo de compreender a complexa realidade nacional. 
b) nacionalismo ufanista e exagerado, herdado do Romantismo. 
c) resgate de padrões estéticos e metafísicos do Simbolismo. 
d) nacionalismo utópico e exagerado, herdado do Parnasianismo. 
e) subjetivismo poético, tão bem representado pelo protagonista. 

4. (UFRS) Considere as seguintes afirmações sobre Triste fim de Policarpo Quaresma, de Lima Barreto. 

I. Na primeira parte, o autor apresenta um funcionário público exemplar, um patriota e um nacionalista obcecado. 
II. Na segunda parte, Policarpo está no campo, dedicando-se à lavoura nas terras férteis do país, mas as saúvas põem fim ao seu projeto. 
III. Na terceira parte, em que prevalece a sátira política, Policarpo rebela-se contra a República e o militarismo, acabando preso e condenado à morte. 

Quais estão corretas? 
a) Apenas I. 
b) Apenas II. 
c) Apenas I e III. 
d) Apenas II e III. 
e) I,II e III. 

5. (UFAM) 
O romance em que Lima Barreto narra as desventuras de um nacionalista exaltado, patriota fanático, que deseja o tupi como língua oficial e luta pela recuperação de nosso folclore, se intitula: 

a) Ideias de Jeca Tatu. 
b) Cidades mortas. 
c) Recordações do escrivão Isaías Caminha. 
d) Triste fim de Policarpo Quaresma. , 
e) Ressurreição. 




Gabarito:
1E | 2E | 3A | 4E

Referência: Linguagens em movimento - Editora FTD
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...