terça-feira, 28 de junho de 2016

Interpretação de texto sobre violência, miséria, favela e drogas - Cena 9 - Canção do exílio Fernando Bonassi

Cena 9 
Canção do exílio 

Fernando Bonassi 


Minha terra tem campos de futebol onde cadáveres amanhecem emborcados pra atrapalhar os jogos. Tem uma pedrinha cor-de-bile que faz "tuim" na cabeça da gente. Tem também muros de bloco (sem pintura, é claro, que tinta é a maior frescura quando falta mistura), onde pousam cacos de vidro pra espantar malaco. Minha terra tem HK, AR15, M21, 45 e 38 (na minha terra, 32 é uma piada). As sirenes que aqui apitam, apitam de repente e sem hora marcada. Elas não são mais as das fábricas, que fecharam. São mesmo é dos camburões, que vêm fazer aleijados, trazer tranquilidade e aflição. 

(BONASSI, Fernando. 15 cenas de descobrimento de Brasis. In: MORICONI, Ítalo (Org.). Os cem melhores contos brasileiros do século. Rio Janeiro: Objetiva, 2000. p. 607.) 

emborcado: colocado de bruços, de boca para baixo; despejado, tombado. 
cor-de-bile: esverdeado ou amarelado. 
frescura: gíria popular com o significado de coisa sem valor, dispensável. 
mistura: gíria popular indicando ingredientes para o almoço ou jantar (carne, verduras, legumes etc.). 
malaco: gíria com o significado de marginal, bandido,ladrão. 

1. Esse texto dialoga diretamente com o poema Canção do Exílio, de Gonçalves Dias. Fernando Bonassi fez uma paródia ou uma paráfrase desse poema? Justifique. 

2. Qual é o tema central desse microconto? 

3. Registre falso ou verdadeiro para cada uma das alternativas a seguir: 

a) O texto de Bonassi dialoga com o noticiário policial. 
b) A divisão em cenas - cena 9, por exemplo - remete à linguagem cinematográfica. 
c) O autor denuncia o degredo de cidadãos brasileiros em solo pátrio. 
d) Ele reafirma a visão ufanista do romântico Gonçalves Dias. 

4. O microconto de Bonassi apresenta características das estéticas realista e naturalista e da modernista. Explique essa afirmativa 

5. Explique as denúncias expressas em cada uma das seguintes passagens: 

a)"Minha terra tem campos de futebol onde cadáveres amanhecem emborcados pra atrapalhar os jogos." 
b) "Tem uma pedrinha cor-de-bile que faz 'tuim' na cabeça da gente." 
c) "Tem também muros de bloco (sem pintura, e claro, que tinta é a maior frescura quando falta mistura), onde pousam cacos de vidro pra espantar malaco."
d) "[...] tem HK, AR 15, M21, 45 e 38 (na minha terra, 32 é uma piada)." 
e) "As sirenes [...] não são mais as das fábricas, que fecharam." 
f) "São mesmo é dos camburões, que vêm fazer aleijados, trazer tranquilidade e aflição." 


Gabarito:

1.  Fez uma paródia da Canção do Exílio, de Gonçalves Dias ("Minha terra tem palmeiras / Onde canta o sabiá. / As aves que aqui gorjeiam / Não gorjeiam como lá [...]"). Em tom ufanista, o poema enaltece a natureza brasileira. O microconto de Bonassi, ao contrário, denuncia a realidade social das periferias urbanas do Brasil. 

2. A violência e a miséria. 

3. verdadeiro | verdadeiro | verdadeiro | falso

4. O tema é realista/naturalista. A forma é da estética modernista. A denúncia da realidade social é uma temática realista/naturalista que continua presente na prosa contemporânea. A forma fragmentada, a narrativa curta, cinematográfica, e a apropriação de marcas linguísticas, como a paródia de textos do Romantismo, e o uso de linguagem coloquial remetem ao Modernismo. 

5.
a) Chacinas, homicídios nos campos de futebol de várzea, nos morros e nas favelas. 
b) Tráfico e consumo de drogas em particular de crack (pedrinha cor-de-bile"). 
c) Moradias degradadas, carência alimentar ("falta mistura" = carne, peixe, frango, verduras, legumes etc., que compõem uma refeição), roubos, presença de marginais ("malaco"). 
d) Uso de armas sofisticadas, importadas, potentes. Os números 45, 38 e 32 se referem ao calibre das armas.
e) Fechamento de fábricas, desemprego. 
f) Violência policial. 



Referência: Português - Linguagens em Conexão (Editora Leya)
Imagem: Google

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...