Atividade de interpretação de crônica sobre adolescência

Leia um trecho de uma crônica de Antônio Prata e responda às questôes de 1 a 5.


Cruzamento

[...] Meu carro corta com esforço a geleia modorrenta em que o ar se transformou nesse verão. Um casal de adolescentes começa a atravessar a rua, de mãos dadas, à minha frente. Fora da faixa. Eles dão uma olhada para o meu carro, de leve, calculando. A garota faz menção de apressar o passo, o garoto a dissuade com um olhar de esguelha e, talvez, um sutil aperto na mão. Eles seguem seu ritmo, lento, rumo à outra calçada.
[...]
Percebo então que quem atravessou a rua à minha frente não foi um casal de adolescentes, foi a adolescência. E quem freou o carro não fui eu, mas a idade adulta. Pois é assim que a adolescência lida com o mundo. Não capitula, arrisca, peita. "Imagina se eu mudo meu ritmo, o mundo que se acostume a ele!", e porque os adolescentes têm um anjo protetor dos mais poderosos ou, pelo menos, uma sorte do tamanho de um bonde, acontece de chegarem, quase sempre, sãos e salvos do outro lado da rua.
Já a idade adulta pondera, põe o pé no freio quando convém, faz concessões, dirige afinada com a sinfonia dos outros, dentro dessa outra geleia modorrenta cujo nome, hoje, soa tão adolescente: sistema. E por isso me irrito, porque ali, naquela rua, diminuindo meu ritmo, me percebo velho, adequado, apascentado. Eles vão no ritmo deles, a realidade que se vire, e é assim, distraídos, que mudam o mundo.

(Meio intelectual, meio de esquerda. São Paulo: Editora 34, 2010. p. 107.)


1. Um conflito corriqueiro entre motorista e pedestre leva o narrador a refletir sobre as fases da vida. O fato que provoca essa reflexão é:

a) um casal de adolescentes atravessa a rua na frente de seu carro em movimento e ele reduz a marcha.
b) o casal atravessa a rua fora da faixa de pedestres.
c) os adolescentes não respeitam os sinais de trânsito.
d) o narrador percebe que envelheceu. 

2. No texto, há uma opinião do narrador em:

a) "Um casal de adolescentes começa a atravessar a rua [...]"
b) "[...] os adolescentes têm um anjo protetor dos mais poderosos [...]"
c) "[...] dão uma olhada para o meu carro [...]"
d) "Fora da faixa." Descritor: 

3. O narrador apresenta suas ideias com ponderação, sem ser taxativo. Assinale a única passagem em que isso não acontece:

a) "[...] com um olhar de esguelha e, talvez, um sutil aperto na mão."
b) "[...] um anjo protetor dos mais poderosos ou, pelo menos, uma sorte [...]"
c) "Pois é assim que a adolescência lida com o mundo."
d) "[...] acontece de chegarem, quase sempre, sãos e salvos [...]" 

4. É possível identificar o tema do texto, pois nele há um narrador: 

a) adolescente, conforme se percebe na frase "Imagina se eu mudo o meu ritmo, o mundo que se acostume a ele!". 
b) adulto, refletindo sobre a arrogância da juventude. 
c) de faixa etária indefinida, que censura a adolescência. 
d) adulto, refletindo sobre a passagem do tempo e suas próprias limitações.

5. No fragmento "[...] e é assim, distraídos, que mudam o mundo", o termo em destaque significa: 

a) despreocupados. 
b) enganados.
c) esquecidos. 
d) iludidos.



Gabarito:
1A | 2B | 3C | 4D | 5A

Descritores: Identificar o conflito gerador do enredo e os elementos que constroem a narrativa.; distinguir um fato da opinião relativa a esse fato; estabelecer relações lógico-discursivas presentes no texto, marcadas por conjunções, advérbios, etc.; identificar o tema de um texto; inferir o sentido de uma palavra ou expressão.


Referência: Português - Linguagens (Editora Saraiva)
Imagem: Google
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...