segunda-feira, 8 de agosto de 2016

Exercícios sobre funções da linguagem

1. Leia a tirinha a seguir:


Que função da linguagem predomina nessa tira? Explique.

2. Leia o texto a seguir:

Planta detecta a presença de explosivos 

A pedido do Pentágono, cientistas criam planta que muda de cor à presença de explosivos por Bruno Garattoni 

Quando recebem excesso de luz solar, as plantas liberam substâncias chamadas terpenoides, que engrossam as folhas e alteram sua cor. A pedido do Pentágono, cientistas americanos ciaram uma técnica para manipular esse mecanismo e fazer com que a planta mude de cor na presença de explosivos. É uma versão transgênica do tabaco (Nicotiana tabacum), que poderá ser usada em aeroportos e locais visados por terroristas. O problema é que a planta leva 12 horas para mudar de cor. Mas os cientistas estão tentando acelerar o processo. 

(Revista Superinteressante. São Paulo: Abril. ed. 289, mar. 2011. 
Disponível em: <http://super.abril.com.br/ciencia/planta-detecta-presenca-explosivos-622508.shtml>. Acesso em: 15 mar. 2012.) 

Em relação ao texto acima, identifique e registre:

a) o gênero 
b) o assunto 
c) o objetivo 
d) a  função da linguagem  
e) a linguagem empregada  
f) a fonte 

3. Leia esses versos: 

O Santo Ofício da misericórdia 
Fazer poemas 
é andar na corda bamba 
de um circo abandonado, 
pior: 
com os pés trocados. 

(BARRETO, Antonio. O sono provisório. 
Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1978. p. 34.) 

a) Explique o uso de metalinguagem nos versos acima. 
b) Que outras funções da linguagem estão presentes nesses versos? Explique. 

4. Leia o verbete: 

metalinguagem 
[De met(a) - + linguagem.] 
S.f.
1. E. Ling. A linguagem utilizada para descrever outra linguagem ou qualquer sistema de significação: todo discurso acerca de uma língua, como as definições dos dicionários, as regras gramaticais etc. Ex.: chover é um verbo defectivo. [Cf. função metalinguística.] 2. P. ext. Linguagem mediante a qual o crítico investiga as relações e estruturas presentes na obra literária. 

(FERREIRA, Aurélio Buarque de Holanda. Dicionário Eletrônico - Versão 5.0. Ed. rev. e atual. 
Parte integrante do Novo Dicionário Aurélio. 3. ed rev. e atual. Curitiba: Positivo/Positivo Informática, 2004.) 

Qual é a função do verbete? Justifique. 

5. (Enem/2010) 
Leia: 

A biosfera, que reúne todos os ambientes onde se desenvolvem os seres vivos, se divide em unidades menores chamadas ecossistemas, que podem ser uma floresta, um deserto e até um lago. Um ecossistema tem múltiplos mecanismos que regulam o número de organismos dentro dele, controlando sua reprodução, crescimento e migrações. 

(O guia dos curiosos. São Paulo: Companhia das Letras, 1995.) 

Predomina no texto a função da linguagem: 

a) emotiva, porque o autor expressa seu sentimento em relação à ecologia. 
b) fática, porque o texto testa o funcionamento do canal de comunicação. 
c) poética, porque o texto chama a atenção para os recursos de linguagem. 
d) conativa, porque o texto procura orientar comportamentos do leitor. 
e) referencial, porque o texto trata de noções e informações conceituais. 

6. (Enem/2010) 
Leia: 

Mostre que sua memória é melhor do que a de computador e guarde esta condição: 12x sem juros. 

Campanha publicitária de loja de eletroeletrônicos. 
Revista Época, n. 424, 3 jul. 2006. 

Ao circularem socialmente, os textos realizam-se como práticas de linguagem, assumindo configurações específicas, formais e de conteúdo. Considerando o contexto em que circula o texto publicitário, seu objetivo básico é: 

a) influenciar O comportamento do leitor por meio de apelos que visam à adesão ao consumo. 
b) definir regras de comportamento social pautadas no combate ao consumismo exagerado. 
c) defender a importância do conhecimento de informática pela população de baixo poder aquisitivo. 
d) facilitar o uso de equipamentos de informática pelas classes sociais economicamente desfavorecidas. 
e) questionar o fato de o homem ser mais inteligente que a máquina, mesmo a mais moderna. 

7. (Enem/2003)

A Propaganda pode ser definida como divulgação intencional e constante de mensagens destinadas a um determinado auditório visando criar uma imagem positiva ou negativa de determinados fenômenos. A Propaganda está muitas vezes ligada à ideia de manipulação de grandes massas por parte de pequenos grupos. Alguns princípios da Propaganda são: o princípio da simplificação, da saturação, da deformação e da parcialidade. 

(Adaptado de Norberto Bobbio et al. Dicionário de política. 

Segundo o texto, muitas vezes a propaganda: 

a) não permite que minorias imponham ideias à maioria. 
b) depende diretamente da qualidade do produto que é vendido. 
c) favorece o controle das massas difundindo as contradições do produto. 
d) está voltada especialmente para os interesses de quem vende o produto. 
e) convida o comprador à reflexão sobre a natureza do que se propõe vender. 

8. (Enem/2009) 
Leia: 

Sentimental 
Ponho-me a escrever teu nome 
com letras de macarrão. 
No prato, a sopa esfria, cheia de escamas 
e debruçados na mesa todos contemplam 
esse romântico trabalho. 

Desgraçadamente falta uma letra, 
uma letra somente 
para acabar teu nome! 

- Está sonhando? Olhe que a sopa esfria! 

Eu estava sonhando... 
E há em todas as consciências este cartaz amarelo: 
"Neste país é proibido sonhar." 

(ANDRADE, Carlos Drummond de. Seleta em prosa e verso. Rio de Janeiro: Record, 1995.) 

Com base na leitura do poema, a respeito do uso e da predominância das funções da linguagem no texto de Drummond, pode-se afirmar que: 


a) por meio dos versos "Ponho-me a escrever teu nome" (v. 1) e "esse romântico trabalho" (v. 5), o poeta faz referências ao seu próprio ofício: o gesto de escrever poemas líricos. 
b) a linguagem essencialmente poética que constitui os versos "No prato, a sopa esfria, cheia de escamas" e "e debruçados na mesa todos contemplam" (v. 3 e 4) confere ao poema uma atmosfera irreal e impede o leitor de reconhecer no texto dados constitutivos de uma cena realista. 
c) na primeira estrofe, o poeta constrói uma linguagem centrada na amada, receptora da mensagem, mas, na segunda, ele deixa de se dirigir a ela e passa a exprimir o que sente. 
d) em "Eu estava sonhando..." (v. 10), o poeta demonstra que está mais preocupado em responder à pergunta feita anteriormente e, assim, dar continuidade ao diálogo com seus interlocutores do que em expressar algo sobre si mesmo. 
e) no verso "Neste país é proibido sonhar." (v. 12), o poeta abandona a linguagem poética para fazer uso da função referencial, informando sobre o conteúdo do "cartaz amarelo" (v. 11).

9. (Enem/2009) 
Leia: 

Canção amiga 
Eu preparo uma canção
em que minha mãe se reconheça,
todas as mães se reconheçam,
e que fale como dois olhos.
[...]
Aprendi novas palavras
E tornei outras mais belas.

Eu preparo uma canção
que faça acordar os homens
e adormecer as crianças.

(ANDRADE, Carlos Drummond de. Novos poemas
Rio de Janeiro: José Olympio, 1948 (fragmento). )

A linguagem do fragmento anterior foi empregada pelo autor com o objetivo principal de:

a) transmitir informações, fazer referência a acontecimentos observados no mundo exterior.
b) envolver, persuadir o interlocutor, nesse caso, o leitor, em um forte apelo à sua sensibilidade.
c) realçar os sentimentos do eu lírico, suas sensações, reflexões e opiniões frente ao mundo real.
d) destacar o processo de construção de seu poema ao falar sobre o papel da própria linguagem e do poeta.
e) manter eficiente o contato comunicativo entre o emissor da mensagem, de um lado, e o receptor, de outro.

10. (Enem/2009) 
Leia: 

Em uma famosa discussão entre profissionais das ciências biológicas, em 1959, C. P. Snow lançou uma frase definitiva: "Não sei como era a vida antes do clorofórmio". De modo parecido, hoje podemos dizer que não sabemos como era a vida antes do computador. Hoje não é mais possível visualizar um biólogo em atividade com apenas um microscópio diante de si; todos trabalham com o auxílio de computadores. Lembramo-nos, obviamente, como era a vida sem computador pessoal. Mas não sabemos como ela seria se ele não tivesse sido inventado. 

(PIZA, D. Como era a vida antes do computador? 
OceanAir em Revista, n. 1,2007 (adaptado).) 

Nesse texto, a função da linguagem predominante é: 

a) emotiva, porque o texto é escrito em primeira pessoa do plural.
b) referencial, porque o texto trata das ciências biológicas, em que os elementos como o clorofórmio e o computador impulsionaram o fazer científico. 
c) metalinguística, porque há uma analogia entre dois mundos distintos: o das ciências biológicas e o da tecnologia. 
d) poética, porque o autor do texto tenta convencer seu leitor de que o clorofórmio é tão importante para as ciências médicas quanto o computador para as exatas. 
e) apelativa, porque, mesmo sem ser uma propaganda, o redator está tentando convencer o leitor de que é impossível trabalhar sem computador atualmente. 




Gabarito:

1. A função metalinguística. A personagem Garfield faz referência ao jornal, suporte em que a tira é publicada. 

2.
a) Uma noticia. 
b) A realização de uma experiência científica. 
c) Informar o leitor a respeito de um fato verídico. 
d) Informativa ou referencial.
e) Clara e objetiva.
f) Versão digital da revista Superinteressante, que pode ser acessada pelo site:
www.super.abril.com.br>. 

3.
a) O poeta fala do fazer poético. 
b) A função poética, pela construção dos versos; e a função emotiva, pois a pessoa que fala no poema (o eu poético) expressa sentimentos de insegurança ("é andar na corda bamba"); de solidão de um circo abandonado") em relação à dificuldade desse ofício ("com os pés trocados"). 

4. O verbete tem função metalinguística, que consiste em explicar o sentido da palavra metalinguagem. 

5. Alternativa e. Função referencial, informativa. centrada no assunto. 

6. Alternativa a. Observa-se no texto o emprego da linguagem em sua função conativa ou apelativa. coma finalidade de Influenciar o leitor.

7. Alternativa d. A propaganda está a serviço de quem vende o produto; tem função apelativa. 

8. Alternativa a. Os versos 1 e 5 fazem referência ao processo de escrita do poema: função metalinguística da linguagem. 

9. Alternativa d. Função metalinguística da linguagem, pois o poema tematiza o fazer poético. 

10. Alternativa b. 



Referência: Português - Linguagens em Conexão (Editora Leya)
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...