terça-feira, 16 de agosto de 2016

Interpretação de artigo de opinião sobre violência, desigualdade social e infância

Paz social

Está provado que a violência só gera mais violência. A rua serve para a criança como uma escola preparatória. Do menino marginal esculpe-se o adulto marginal, talhado diariamente por uma sociedade violenta que lhe nega 'condições básicas de vida. 
Por trás de um garoto abandonado existe um adulto abandonado. E o garoto abandonado de hoje é o adulto abandonado de amanhã. É um círculo vicioso, em que todos são, em menor ou maior escala, vítimas. São vítimas de uma sociedade que não consegue garantir um mínimo de paz social. 
Paz social significa poder andar na rua sem ser incomodado por pivetes. Isso porque num país civilizado não existe pivete. Existem crianças desenvolvendo suas potencialidades. Paz é não ter medo de sequestradores. É nunca desejar comprar uma arma para se defender ou querer se refugiar em Miami. É não considerar normal a ideia de que o extermínio de crianças ou adultos garanta a segurança. 
Entender a infância marginal significa entender por que um menino vai para a rua e não à escola. Essa é, em essência, a diferença entre o garoto que está dentro do carro, de vidros fechados, e aquele que se aproxima do carro para vender chiclete ou pedir esmola. E essa é a diferença entre um país desenvolvido e um país de Terceiro Mundo. 
É também entender a História do Brasil, marcada por um descaso das elites em relação aos menos privilegiados. Esse descaso é simbolizado por uma frase que fez muito sucesso na política brasileira: caso social é caso de polícia. 
A frase surgiu como uma justificativa para o tratamento dado ao trabalhador no começo do século. Em outras palavras, é a mesma postura que as pessoas assumem hoje em relação à infância carente e aos meninos de rua. 

DIMENSTEIN, Gilberto. O cidadão de papel: a infância, adolescência e os direitos humanos no Brasil. 16. ed. São Paulo: Ática, 1993.

1. Segundo Gilberto Dimenstein, "a violência só gera mais violência". Qual é o primeiro argumento do texto que apoia essa afirmação? Reproduza-o com redação própria. 

2. Por que tanto adultos quanto menores abandonados são vítimas da sociedade? 

3. Segundo o articulista, o que significa "paz social"? Explique sem copiar as palavras do texto. 

4. Procure no dicionário o significado da palavra "pivete" e copie-o em seu caderno. Em seguida, explique a diferença entre "pivete" e "crianças desenvolvendo suas potencialidades".

5. Relacione "infância marginal" com "países desenvolvidos" e "países subdesenvolvidos".

6. Segundo o texto, o Brasil se insere em que tipo de país? Por quê? Justifique sua resposta.

7. O texto é composto de seis parágrafos. Resuma cada um deles em uma única frase. 

8. No primeiro parágrafo, o artigo se refere à rua; no último, também. Explique qual é a ligação entre o que se diz no começo e o que se diz no fim do texto. 


Gabarito:

1. A rua serve para o menino abandonado como preparação para se transformar em um adulto marginal. Assim o descaso, a violência da sociedade em relação aos meninos de rua é responsável por gerar adultos violentos. 

2. Porque a sociedade não consegue garantir o mínimo de paz social, para que todos tenham oportunidade de viver de maneira digna.  

3. Paz social é viver sem sentir pavor de tudo e de todos, tanto de crianças que roubam ou agridem, quanto de sequestradores. Entender que não é saindo do país ou exterminando essas pessoas que se alcançará a segurança. 

4. "Pivete" menino crescido; menino esperto; menino que rouba e geralmente vive nas ruas, ou que trabalha para ladrões. "Pivete é um menino bandido; crianças "desenvolvendo suas potencialidades" são as que estudam e têm acesso ao mundo da cultura, no sentido mais amplo da palavra, àquilo que desperta sua curiosidade e auxilia sua formação. 

5. Em países desenvolvidos, as crianças estudam e brincam, a infância marginal é mais comum em países subdesenvolvidos, onde as crianças, em vez de estudarem e brincarem, são obrigadas a trabalhar, em subempregos ou semiescravidão, ou a praticar crimes para sobreviverem.

6. O Brasil é um país em desenvolvimento, mas como não há igualdade de oportunidades, muitas crianças trabalham para ajudar suas famílias; outras para garantir o próprio sustento, já que, muitas vezes, não têm família; dessa forma, não usufruem dos direitos da infância que as leis garantem, como brincar e ter acesso à educação, sem poder se preparar para o futuro. 

7. 1º parágrafo: A violência contra a criança marginalizada gera mais violência, pois ela é a responsável pelo futuro adulto violento e marginal. 2º parágrafo: A sociedade é responsável pela criança e pelo adulto abandonados. 3º parágrafo: Paz social é achar anormal o extermínio de adultos e crianças, desejar mudar de país e viver sem tranquilidade. 4º parágrafo: Infância marginal é comum em países pobres e subdesenvolvidos, onde só algumas crianças vão à escola, as excluídas ficam nas ruas e têm de mendigar para sobreviver. 5º parágrafo: Esse descaso em relação aos menos favorecidos é próprio da História do Brasil. 6º parágrafo: A sociedade enxerga a situação da criança no Brasil como responsabilidade da polícia, e se esquece de que o abandono da infância é um problema social. 

8. A rua é o lugar em que as crianças abandonadas se tornam delinquentes, isto é "escola' da marginalidade, estabelece-se ai o círculo vicioso: a sociedade abandona os menores carentes e esses, mais tarde, devolvem a ela a "lição" aprendida: a violência. 



Referência: Tecendo Linguagens (Editora IBEP)
Imagem: Google
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...