Atividade de produção de texto 8ºano - conto de ficção científica



PROPOSTA 
Para realizar essa proposta, leia o texto a seguir e acompanhe o que aconteceu com Fábio, a personagem principal. Você perceberá que a história foi interrompida em um momento crucial.


A coisa

Devia ser mais ou menos meia-noite.
Fábio já se deitara, mas continuava acordado. Sua mãe dormia no quarto do fim do corredor e deixara a porta entreaberta para o caso de ele precisar de algo durante a noite. A casa estava silenciosa, estranhamente quieta, quando aquilo o surpreendeu.
O barulho partiu de algum lugar a sua esquerda. Um ruído arrastado, seco. Inexplicável. Fábio lia uma revistinha quando o escutou pela primeira vez. A princípio achou que podia ter sido só uma impressão, um truque de sons, assim como o eco, mas o ruído se repetiu. Desta vez, mais próximo.
Fábio apoiou-se no travesseiro e escutou com atenção, o coração batendo depressa enquanto pensava. Seu pai havia lhe explicado que algumas madeiras estalavam durante a noite por causa da queda de temperatura. Mas aquele ruído era... diferente. Era sinistro. Não se parecia nadinha com o estalo de algum móvel maluco.
Olhou em torno, receoso. Aquela inquietante sensação de que estava sendo observado persistia. Virou-se para espiar debaixo da cama, conferir se tudo andava bem por ali. Foi nesse instante que percebeu um movimento atrás de si. Um deslizar suave, quase sorrateiro. Então voltou-se, lentamente. Um arrepio de medo e surpresa percorreu seu corpo ao ver a estranha criatura, ali parada, olhando-o.
Ela estava no canto mais escuro do quarto, ao lado do guarda-roupa. Uma massa disforme, escura e gelatinosa que... flutuava. Seu corpo, úmido e volumoso, tinha a aparência de uma grande esponja, com pequenos orifícios que se abriam e fechavam. Certamente não tinha rosto. Seus olhos mais pareciam dois buracos vazios, mas Fábio podia jurar ter visto algo brilhar, lá dentro. Quando a Criatura viu Fábio espiando, soltou um grunhido esquisito e as ventosas de seu corpo começaram a produzir um fluido gosmento que borbulhou, pingou no chão e se espalhou pelo carpete do quarto.
Por um instante, Fábio ficou paralisado. Depois recuou, sentindo vontade de vomitar. Estava atordoado, mal podia respirar. Quis se levantar da cama e sair depressa dali, mas não foi capaz de fazer nenhum movimento. Ficou parado, à espera de que a Criatura, repentinamente, arreganhasse a boca para devorá-lo. 
No entanto, foi novamente surpreendido pelos fatos. O pensamento surgiu de modo inesperado, numa explosão de luz em sua mente. Estava recebendo uma mensagem clara e precisa, como se uma voz falasse dentro de sua cabeça. Fábio escutou, maravilhado.Seu medo acabara de sumir. [...]

MUNIZ, Flávia. Viajantes do infinito. São Paulo: Moderna, 1991.

** Seu desafio será dar continuidade à história, contando como Fábio passou a caracterizar aquele estranho ser.


PLANEJE SEU TEXTO

Copie no caderno os itens abaixo e responda a cada um deles como modo de planejamento, ampliando o número de itens se for necessário. Após a realização da atividade, verifique se cumpriu o planejado.

1. Qual é o público leitor do texto?
2. Que linguagem vou empregar?
3. Qual é a estrutura que o texto vai ter?
4. Onde o texto vai circular?

ORIENTAÇÕES PARA A PRODUÇÃO

Dê continuidade à história de Fábio, considerando as sugestões a seguir:

1. Descreva como Fábio passou a caracterizar aquele estranho ser, empregando adjetivos e fazendo comparações.
2. Expresse outros sentimentos e sensações que tomaram conta de Fábio depois de ouvir a mensagem. 
3. Crie expectativa. Não diga de imediato qual foi a mensagem. Relate as próximas ações de Fábio: O que ele fez depois que o medo foi embora?
4. Narre as ações e reações da "coisa" e de Fábio.
5. Termine a narração revelando a mensagem transmitida pela criatura.
6. Organize os fatos de maneira lógica e coerente, ou seja, de forma que faça sentido para o leitor.
7. Utilize o mesmo registro de linguagem empregado pelo narrador do texto. É preciso também observar, com atenção, o tempo e o lugar em que os fatos transcorrem, para não haver contradição.
8. Fique atento ao emprego dos tempos verbais. Observe o uso do pretérito perfeito ao relatar as ações de Fábio e da "coisa" ("soltou", "recuou", "começaram", "surgiu", "espalhou" etc.). Fique atento também ao uso do pretérito imperfeito para criar o cenário e o clima dos acontecimentos e dar ideia de continuidade das ações ("continuava acordado", "estava", "lia", "havia", "parecia"). Perceba que o emprego do presente do indicativo não é coerente com a estrutura narrativa do texto.

AVALIAÇÃO E REESCRITA

1. Verifiquem se o seu texto apresenta os elementos principais de uma narrativa.
2. O leitor perceberá que se trata de um conto de ficção científica? A ambientação, as personagens, os elementos textuais permitem que o leitor identifique o gênero?
3. O texto foi organizado em parágrafos? Caso tenham empregado discurso direto, observem o uso de parágrafo, travessão e verbos de elocução. Verifiquem se não misturaram a voz do narrador com a voz da personagem.
4. A linguagem usada nos diálogos está adequada ao perfil das personagens? A linguagem usada para marcar a voz do narrador está adequada ao público leitor?
5. Há algum acontecimento importante que vocês deixaram de explicitar? Em caso afirmativo, modifiquem trechos da produção.
6. Depois dos ajustes, passem o texto a limpo e leiam-no antes de apresentá-lo à turma na roda de leitura.
7. Decidam as partes do texto que serão lidas por cada aluno da dupla e façam um breve ensaio. 
8.  Durante o compartilhamento do texto na roda de leitura, fiquem atentos aos seguintes aspectos:
> A minha voz está audível?
> O ritmo de leitura e a entonação estão adequados?
> Estou fazendo pausas nos momentos certos?
> Consigo criar suspense e transmitir os sentimentos e sensações desejados na leitura?
> Consigo manter a atenção da turma àquilo que estou lendo?
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...