Interpretação de texto para 6ºano (Manoel de Barros) Memórias inventadas: a infância

Hoje eu completei oitenta e cinco anos. O poeta nasceu de treze. Naquela ocasião escrevi uma carta aos meus pais, que moravam na fazenda, contando que eu já decidira o que queria ser no meu futuro. Que eu não queria ser doutor. Nem doutor de curar nem doutor de fazer casa nem doutor de medir terras. Que eu queria era ser fraseador. Meu pai ficou meio vago, depois de ler a carta. Minha mãe inclinou a cabeça. Eu queria ser fraseador e não doutor. Então, o meu irmão mais velho perguntou: Mas esse tal de fraseador bota mantimento em casa? Eu não queria ser doutor, eu só queria ser fraseador. Meu irmão insistiu: Mas se fraseador não bota mantimento em casa, nós temos que botar uma enxada na mão desse menino pra ele deixar de variar. A mãe baixou a cabeça um pouco mais. O pai continuou meio vago. Mas não botou enxada. 

BARROS, Manoel de. Memórias inventadas: a infância. São Paulo: Planeta do Brasil, 2003. 


1. O poeta Manoel de Barros diz que, desde cedo, já queria ser fraseador. O que ele quis dizer com essa afirmação? 

2. Que frase do texto confirma que Manoel de Barros descobriu-se poeta quando era adolescente? 

3. Ao receberem a carta, pai, mãe e irmão tiveram reações diferentes. Identifique a reação de cada um. 

4. Releia esta pergunta do irmão do poeta: "Mas esse tal de fraseador bota mantimento em casa?". 
a) Ao fazer essa pergunta, que tipo de preocupação o irmão manifesta? 
b) Ao manifestar essa preocupação, o irmão de Manoel também revela o modo como considera o trabalho dele. O que provavelmente pensa o irmão sobre o trabalho dos poetas? 

5. Na sociedade em que vivemos, há quem considere o poeta um artista, uma pessoa de grande sensibilidade, alguém que lida bem com as palavras, mas há também aqueles que o consideram sonhador, alguém que não tem os pés no chão, ou até mesmo julgam sua atividade irrelevante. O que você pensa sobre esse assunto? 

6. O pai seguiu o conselho do irmão do poeta? O que representou a atitude do pai? 


Gabarito: 

1. Ele quis dizer que desde menino já queria ser poeta.

2. “O poeta nasceu de treze.”.

3. O pai ficou meio vago, a mãe abaixou a cabeça e o irmão questionou a possibilidade de se ganhar a vida como poeta. Professor, é importante verificar se os alunos compreenderam o que quer dizer “ficar meio vago” e também a atitude da mãe de baixar a cabeça: o pai fica confuso, meio desconcertado com a notícia e a mãe não apoia nem reprova a decisão do filho. O texto dá a entender que a mãe fica resignada, pensativa, decepcionada. 

4.
a) Manifesta preocupação com a remuneração do trabalho e como essa remuneração pode garantir a sobrevivência.
b) Provavelmente considera que esse trabalho não remunera ou não remunera o suficiente para garantir a sobrevivência de quem o pratica e dos que dele eventualmente dependem. Pode até considerar como um não trabalho. 

5. Resposta pessoal. 

6. Não. Com essa atitude, o pai demonstrou respeitar a decisão do filho.



Referência: Tecendo Linguagens (Editora IBEP)
Imagem: Google
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...