Interpretação do poema Interrogação de Camilo Pessanha

Interrogação 

Simbolismo: características da poesia simbolista (resumo)

Não sei se isto é amor. Procuro o teu olhar, 
Se alguma dor me fere, em busca de um abrigo; 
E apesar disso, crê! nunca pensei num lar 
Onde fosses feliz, e eu feliz contigo. 
Por ti nunca chorei nenhum ideal desfeito. 
E nunca te escrevi nenhuns versos românticos. 
Nem depois de acordar te procurei no leito 
Como a esposa sensual do Cântico dos Cânticos
Se é amar-te não sei. Não sei se te idealizo 
A tua cor sadia, o teu sorriso terno... 
Mas sinto-me sorrir de ver esse sorriso 
Que me penetra bem, como este sol de Inverno. 
Passo contigo a tarde e sempre sem receio 
Da luz crepuscular, que enerva, que provoca. 
Eu não demoro a olhar na curva do teu seio 
Nem me lembrei jamais de te beijar na boca. 
Eu não sei se é amor. Será talvez começo... 
Eu não sei que mudança a minha alma pressente... 
Amor não sei se o é, mas sei que te estremeço, 
Que adoecia talvez de te saber doente. 


PESSANHA, Camilo. Interrogação. In: SANTOS, Gilda; LEAL, Izabela. Camilo Pessanha 
em dois tempos. Rio de Janeiro: 7 Letras, 2007. p. 47-48. 

1. Nesse texto temos um expressivo exemplo de poema lírico-amoroso não romântico, não sentimental. Mencione duas de suas estrofes que demonstrem mais claramente essa afirmação. 
2. Há no texto uma espécie de análise do sentimento amoroso, por meio da qual o sujeito lírico põe em dúvida esse sentimento: ao mesmo tempo nega e confirma seu amor. Identifique passagens significativas de cada uma das situações presentes na primeira estrofe. 

3. Apesar de o título do poema ser "Interrogação", predomina no sujeito lírico a negação, a dúvida ou a confirmação do sentimento? Por quê? 

4. Em sua opinião, qual é a principal característica dessa declaração não convencional de amor, tendo em vista que se trata de um poema simbolista? 


Gabarito:

1. A segunda e a terceira estrofes.

2. Exemplo de dúvida: "Não sei se isto é amor [...]"; exemplo de confirmação: "[...] procuro o teu olhar, / Se alguma dor me fere, em busca de um abrigo"; exemplo de negação: "[...] nunca pensei num lar / Onde fosses feliz, e eu feliz contigo.".

3. Predomina a confirmação do sentimento porque, embora continue afirmando duvidar do que se sente, o sujeito lírico acaba por se revelar, nos versos finais: "Amor não sei se o é, mas sei que te estremeço, / Que adoecia talvez de te saber doente.".

4. Resposta pessoal. Sugestão: A principal característica é a sutileza, que parece querer camuflar a intensidade do sentimento, refinando-o, tornando-o como que "superior" aos excessos românticos e mesmo à sensualidade: "Eu não demoro a olhar na curva do teu seio / Nem me lembrei jamais de te beijar na boca."
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...