Exercícios sobre Eça de Queirós - O crime do padre Amaro


(Mackenzie-SP) Leia o texto a seguir. 

 A verdade, meus senhores, é que os estrangeiros invejam-nos. E o que vou a dizer não é para lisonjear a vossas senhorias: mas enquanto neste país houver sacerdotes respeitáveis como vossas senhorias, Portugal há de manter com dignidade o seu lugar na Europa! Porque a fé, meus senhores, é a base da ordem! 
 Sem dúvida, senhor conde, sem dúvida - disseram com força os dois sacerdotes. 
 Se não, vejam vossas senhorias isto! Que paz, que animação, que prosperidade! 
E com um grande gesto mostrava-lhes o Largo do Loreto, que àquela hora, num fim de tarde serena, concentrava a vida da cidade. Tipoias vazias rodavam devagar; pares de senhoras passavam, com os movimentos derreados, a polidez clorótica duma degeneração de raça; nalguma magra pileca, ia trotando algum moço de nome histórico, com a face ainda esverdeada da noitada de vinho; pelos bancos de praça gente estirava-se num torpor de vadiagem; um carro de bois, aos solavancos sobre suas altas rodas, era como o símbolo de agriculturas atrasadas de séculos. 

Eça de Queirós. O crime do padre Amaro. In Obra completa, vol. I. Rio de Janeiro: Nova Aguilar, 1997. 


Glossário:

derreados = cansados, desanimados
clorótica = desbotada
pileca = cavalo sem valor


1. Assinale a afirmativa correta.

a) A descrição minuciosa do Largo do Loreto, feita pelo conde, é argumento para comprovar sua tese sobre a prosperidade de Portugal. 
b) O conde, os sacerdotes e o narrador, apesar de pertencerem a classes sociais distintas, adotam o mesmo ponto de vista com relação ao progresso da cidade. 
c) Ao descrever o Largo do Loreto, o narrador evita apresentar juízos de valor, adotando, assim, perspectiva imparcial. 
d) A descrição do Largo do Loreto feita pelo narrador é, no contexto, estratégia para ridicularizar as ideias do conde e dos sacerdotes. 
e) O conde e os sacerdotes valorizam as virtudes da nação; o narrador, por sua vez, descreve apenas o comportamento indolente da classe operária. 

2. Ainda sobre o texto de Eça de Queirós, assinale a alternativa correta. 

a) Palavras como devagar, derreados, degeneração e vadiagem (último parágrafo) confirmam as opiniões do conde. 
b) A dignidade de Portugal, segundo o conde, estaria garantida pela ação dos religiosos, que assegurariam a ordem social. 
c) A inveja dos estrangeiros seria motivada pelo fato de Portugal representar a vanguarda da prosperidade industrial europeia. 
d) A forma vossas senhorias, usada pelo conde, explicita a informalidade de tratamento dispensado 
aos sacerdotes. 
e) Em "disseram com força os dois sacerdotes", com força disfarça a contrariedade dos sacerdotes com relação às palavras do conde. 






Referência: Linguagem em Movimento (Editora FTD)
Imagem: Google
Gabarito: 1D | 2B
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...