quinta-feira, 23 de fevereiro de 2017

O navio negreiro (atividade de interpretação)


O navio negreiro 

[...] Era um sonho dantesco... o tombadilho
Que das luzernas avermelha o brilho,
Em sangue a se banhar.
Tinir de ferros... estalar do açoite ...
Legiões de homens negros como a noite,
Horrendos a dançar...

Negras mulheres, suspendendo às tetas
Magras crianças, cujas bocas pretas
Rega o sangue das mães:
Outras, moças... mas nuas, espantadas,
No turbilhão de espectros arrastadas,
Em ânsia e mágoa vãs.

[...] Presa nos elos de uma só cadeia,
A multidão faminta cambaleia,
E chora e dança ali!

Um de raiva delira, outro enlouquece...
Outro, que de martírios embrutece,
Cantando, geme e ri!

No entanto o capitão manda a manobra
E após, fitando o céu que se desdobra
Tão puro sobre o mar,
Diz do fumo entre os densos nevoeiros:
"Vibrai rijo o chicote, marinheiros!
Fazei-os mais dançar!... "

E ri-se a orquestra irônica, estridente...
E da roda fantástica a serpente
Faz doudas espirais!
Qual num sonho dantesco as sombras voam...
Gritos, ais, maldições, preces ressoam!
E ri-se Satanás!...

Senhor Deus dos desgraçados!
Dizei-me vós, Senhor Deus!
Se é loucura... se é verdade
Tanto horror perante os céus... [...]

Castro Alves. Obra completa. Rio de Janeiro: 
Nova Aguilar, 1976, p. 280-281. 


Glossário

dantesco: relativo aos suplícios infernais descritos pelo poeta Dante Alighieri, em A divina comédia
tombadilho: estrutura erguida na popa de um navio
luzernas: clarões
açoite: chicote
espectros: fantasmas


1. O poema de Castro Alves busca emocionar, ressaltando a terrível situação a que estavam submetidos os escravos. Indique ao menos três aspectos da cena descrita que colaboram para provocar piedade no leitor. 

2. A ironia é um dos recursos empregados no poema para enfatizar o cruel tratamento dispensado aos escravos. Por que se pode afirmar que o verbo dançar foi empregado na primeira estrofe com sentido irônico? 

3. Em que momento se revela a indignação do eu lírico em relação à condição dos escravos? 

4. Transcreva da primeira estrofe uma hipérbole, figura de linguagem frequentemente empregada pelos poetas condoreiros. 



Gabarito:

1. Os ferimentos causados pelo açoite, a magreza das crianças, a nudez das mulheres, a fome que os escravos sentiam são alguns dos aspectos que podem causar piedade no leitor. 

2. No contexto do poema, o verbo dançar não indica propriamente uma dança, algo festivo, mas os movimentos que os escravos faziam ao ser brutalmente açoitados. 

3. Na última estrofe, o eu lírico revela sua indignação e incredulidade em relação às brutalidades infligidas aos escravos.

4. "[o tombadilho] Em sangue a se banhar" ou "Legiões de homens negros como a noite" 





Referência: Linguagem em Movimento (Editora FTD)
Imagem: Google
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...