Exercícios sobre narrador-observador para 9ºano



1. Leia os textos abaixo e indique aquele que apresenta narrador-observador. 

Texto 1 

Residia, então, em Charleston, a uma distância de 9 milhas, e as facilidades para ir e voltar eram menores do que agora. Chegando à cabana, bati, conforme meu hábito, e, não obtendo resposta, procurei a chave no lugar onde sabia estar escondida. Abri a porta e entrei. Foi uma surpresa e com certeza das mais agradáveis. Um belo fogo crepitava na lareira. Despi o paletó, empurrei a cadeira para junto do fogo, e esperei pacientemente pelos donos da casa. 

(Contos de Edgar Allan Poe. Tradução de José Paulo Paes. São Paulo: Cultrix, 1986. p. 78.) 

Texto 2 

A figura não fez movimento ou pronunciou palavra. Mas quando lhe olharam a face viram que, em lugar de seu ar digno de piedade e de seus gestos de quem pede pela vida, transformara - se no mais horrível monstro que jamais se viu [...]. E que, no lugar das mãos erguidas para pedir misericórdia, havia agora duas adagas de fogo, que não flamejavam, mas eram incandescentes e terminavam numa ponta que era uma chama azulada. 

(Daniel Defoe. Contos de fantasmas. Tradução de Henrique de Araújo Mesquita. Porto Alegre: L&PM, 2012. p. 33.) 

2. Reescreva o texto a seguir, transformando o narrador-personagem em narrador-observador.

Optei pela minha vocação de marinheiro faz já vários anos, numa ocasião em que eu me encontrava com os bolsos vazios, e nada do que havia em terra me interessava. 
Então pensei em atirar-me ao mar e ver suas maravilhas. Meu nome é Ismael e, de vez em quando, tenho acessos de melancolia; quando isso acontece, acho que o melhor é tomar rapidamente uma resolução heroica. E foi isso o que fiz. 
Resolvi ir para o mar, mas não entrei num navio como qualquer passageiro. Nem como cozinheiro ou camareiro. Detesto essas profissões. em mesmo como capitão de navio. 
Embarquei como marinheiro: desses que ficam à proa, prontos para tudo o que der e vier. Se este ofício é pesado? Naturalmente; e muito. Mas me agrada. [...] 

(Herman Melville. Moby Dick. Tradução de Yone Quartim. São Paulo: Tempo Cultural, 1989. p. 7- 8.) 

3. Escreva um pequeno relato, narrando um fato que ocorreu em sua cidade ou no país e no qual uma pessoa tenha se destacado. Faça duas versões do relato e, em ambas, refira-se ao protagonista como herói ou heroína. Na primeira versão, narre em primeira pessoa; na segunda, em terceira pessoa. 



Gabarito:

1. Texto 2.

2. Optou pela sua vocação... ele se encontrava... lhe interessava/... pensou em atirar-se ao mar... Seu nome é Ismael... tem acessos de melancolia... acha... o que fez/ Resolveu ir para o mar... não entrou... Detesta essas profissões/ Embarcou... Mas lhe agrada.

3. Pessoal.




Referência: Português - Linguagens (Editora Saraiva)
Imagem: Google
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...