Invenção de Orfeu - Interpretação de texto modernista (soneto)



O soneto a seguir foi tirado do primeiro canto da obra poética de Jorge de Lima, Invenção de Orfeu. Publicado em 1952, um ano antes da morte do poeta, até hoje o livro é um enigma para os que procuram interpretá-lo. Apesar do hermetismo, da dificuldade de encontrar unidade no todo, há, nessa obra, poemas que, lidos isoladamente, são de grande beleza, como o soneto a seguir.

Invenção de Orfeu 
Jorge de Lima 

XXVI 

Qualquer que seja a chuva desses campos 
Devemos esperar pelos estios; 
E ao chegar os serões e os fiéis enganos 
Amar os sonhos que restarem frios. 

Porém se não surgir o que sonhamos 
E os ninhos imortais forem vazios, 
Há de haver pelo menos por ali 
Os pássaros que nós idealizamos. 

Feliz de quem com cânticos se esconde 
E julga tê-las em seus próprios bicos, 
E ao bico alheio em cânticos responde. 

E vendo em torno as mais terríveis cenas, 
Possa mirar-se as asas depenadas 
E contentar-se com as secretas penas. 

LIMA, Jorge de. In: MOISÉS, Massaud. A literatura brasileira através dos textos. São Paulo: Cultrix, 1995, p. 462. 


estio: verão; idade madura. 
Orfeu: na mitologia grega, Orfeu, poeta e músico, casa-se com a bela Eurídice, que morre. Inconformado com a perda, o poeta desce aos infernos e implora para que sua amada reviva. 
serão: trabalho ou tarefa extraordinária; tempo que decorre entre a refeição noturna e a hora de dormir.

1. O poema de Jorge de Lima é repleto de metáforas, que, combinadas, tratam de certos eventos da vida e da maneira de lidar com eles. Indique o que podem significar, dentro da ideia geral do poema, as palavras ou expressões a seguir. Veja o exemplo.

a) chuva 5
b) campos 
c) estios 
d) serões e fiéis enganos
e) sonhos que restarem frios
f) ninhos imortais 
g) pássaros
h) cânticos  
i) bico
j) asas depenadas
k) secretas penas 

1) os sonhos e as esperanças 
2) canto, arte 
3) a própria vida 
4) frustrações dos esforços 
5) dificuldades, problemas 
6) espaço de concretização dos sonhos 
7) sonhos e ilusões secretas 
8) sonhos e ilusões desfeitas 
9) alegrias ou arte 
10) esperanças não realizadas 
11) momentos bons, soluções dos problemas

2. Elabore uma paráfrase do poema.



Gabarito

1. Interpretação possível: 5, 3, 11, 4, 10, 6, 1, 9, 2, 8, 7.

2. Mesmo diante de situações difíceis, devemos esperar a solução dos problemas e jamais perder a capacidade de sonhar, de ter esperança. Ainda que os objetivos não sejam alcançados, que se tenha ao menos o contentamento de poder sonhar. 






Referência: Viva Português (Editora Ática)
Imagem: Google
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...