Análise do poema "Dinheiro" de Álvares de Azevedo

Imagem: Google
Dinheiro
Álvares de Azevedo

Oh! argent! Avec toi on est beau, jeune, 
adoré; on a considération, honneurs, qualités, vertus.
Quand on n’a point d’argent on est dans la dépendance de toutes choses et de tout le monde.
(Chateaubriand)

Sem ele não há cova — Quem enterra
Assim grátis, a Deo? O batizado
Também custa dinheiro. Quem namora
Sem pagar as pratinhas ao Mercúrio?
Demais, as Dânaes também o adoram…
Quem imprime seus versos, quem passeia,
Quem sobe a deputado, até ministro,
Quem é mesmo Eleitor, embora sábio,
Embora gênio, talentosa fronte,
Alma romana, se não tem dinheiro?
Fora a canalha de vazios bolsos!
O mundo é para todos... Certamente
Assim o disse Deus, mas esse texto
Explica-se melhor e doutro modo…
Houve um erro de imprensa no Evangelho:
O mundo é um festim, concordo nisso,
Mas não entra ninguém sem ter as louras.

(AZEVEDO, Alvares de. Lira dos vinte anos. 2. Ed. São Paulo: Landy, 2000. P. 138-9.)


1. A que se refere o pronome ele, no primeiro verso do poema "Dinheiro"? 

2. Marque as alternativas que se referem ao poema "Dinheiro": 

a) Faz crítica à sociedade capitalista. 
b) Filia-se à temática do "mal do século".
c) Questiona a igualdade pregada pela Bíblia. 
d) Faz referência à mitologia greco-romana. 
e) Foge da confissão intimista e da expressão da individualidade. 

3. A poesia satírica satiriza, isto é, critica com humor, fazendo muitas vezes uso da ironia. Como você interpreta os versos a seguir, extraídos de "Dinheiro"? 

a) "Sem ele não há cova — Quem enterra / Assim grátis, a Deo? O batizado / Também custa dinheiro. [...]" 
b) "[...] Quem namora / Sem pagar as pratinhas ao Mercúrio? / Demais, as Dânaes também o adoram... [...]"  
c) "[...] Quem sobe a Deputado, até Ministro, / Quem é mesmo Eleitor, embora sábio, / Embora gênio, talentosa fronte, / Alma Romana, se não tem dinheiro? [...]" 
d) ''[...] O mundo é para todos... Certamente / Assim o disse Deus mas esse texto/ Explica-se melhor e doutro modo.../ Houve um erro de imprensa no Evangelho[...]" 

4. Explique, no poema, o uso da metonímia para se referir a dinheiro. 
5. Como vimos, o poema "Dinheiro" é antecedido por uma epígrafe, de autoria do escritor romântico francês François-René Auguste de Chateaubriand. Leia: 

Ó dinheiro! Contigo somos belos, jovens, adorados; 
Temos consideração, honrarias, qualidades, virtudes. 
Quando não temos nenhum dinheiro, ficamos 
na dependência de todas as coisas e de todo mundo. 

a) Qual é a relação entre a epígrafe e o poema? 
b) Redija um comentário concordando com o ponto de vista expresso na epígrafe ou discordando dele. Apresente argumentos para sustentar sua opinião. 


Gabarito

1. O pronome ele refere-se ao termo dinheiro, do título. Refere-se também ao substantivo dinheiro, no terceiro verso.

2. Alternativas: a, c, d, e. 

3. 
a) O poeta crítica a cobrança para enterrar os mortos e batizar os vivos. Em “Assim grátis, a Deo?” há um jogo de palavras com as expressões “graças a Deus” e “de graça”. Atente-se para a metonímia: há substituição do local do enterro (cova) pelo ato de enterrar (sepultamento) 
b) Crítica ao amor por interesse financeiro.
c) Crítica à influência do dinheiro na política.
d) Uso de ironia para mostrar que a “igualdade” pregada pela Bíblia não é seguida.

4. Metonímia: pratinhas e louras são as moedas prateadas e douradas da época. É a substituição do objeto pelo cor.

5. 
a) Ambos criticam o poder do dinheiro.
b) Resposta pessoal.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...