Interpretação artigo de opinião para ensino médio (desperdício de água)

Imagem: Google

Usar água sim; desperdiçar nunca

O verão veio bravo. Ninguém aguenta o calor. É tempo de piscina, praia, refrescos, sorvetes e muito desperdício de água.
Esse mau hábito não é novo. Ao ler uma instrutiva reportagem publicada pelo "Estado" (6/2/2006), fiquei estarrecido ao saber que o consumo por pessoa em São Paulo é de 200 litros por dia, bem superior aos 120 litros recomendados pela ONU.
Em 2005, o consumo de água na região da Grande São Paulo aumentou 4% em relação a 2004. Só em dezembro, foram consumidos 128 milhões de metros cúbicos de água -o maior consumo desde 1997.
É uma soma fantástica e sinalizadora de muito desperdício. Os repórteres responsáveis pela reportagem mencionada "flagraram" muitas pessoas lavando as calçadas com mangueira a jato em lugar de vassoura. Trata-se de um luxo injustificável. No consumo doméstico, cerca de 72% da água são gastos no banheiro e, neste, o chuveiro responde por 47%. Os banhos exageradamente demorados desperdiçam água e energia elétrica.
É verdade que o asseio é uma das virtudes dos brasileiros e devemos conservá-la. Mas não há necessidade de ficar meia hora debaixo do chuveiro para manter a boa higiene. Quando estudei nos Estados Unidos, há mais de 50 anos, a dona da república onde morava, uma senhora franzina e de cara muito fechada, me fez pagar uma sobretaxa de aluguel porque sabia que, como brasileiro, eu estava acostumado a tomar banho todos os dias e a "gastar" muita água. Na época, garoto novo, achei a mulherzinha um monstro de avareza. Hoje, vejo que todas as nações do mundo precisam economizar água.
O Brasil é um país abençoado por possuir cerca de 20% da água do mundo. Isso é um privilégio quando se considera que só 3% da água do planeta é aproveitável e que mesmo esses 3% não são imediatamente utilizáveis, porque uma grande parte está nas geleiras longínquas e em aquíferos profundos. Na verdade, a quantidade de água que pode ser usada para alimentar os seres vivos, gerar energia e viabilizar a agricultura é de aproximadamente 0,3%.
Desse ponto de vista, a água é um bem escasso. Não é porque temos 20% da água do mundo que podemos perdê-la irresponsavelmente. O uso da água precisa ser racionalizado, em especial nas grandes aglomerações urbanas, onde os mananciais não dão conta de atender a população.
O Brasil já possui uma lei das águas, promulgada em 1997, cujo objetivo central é o de "assegurar à atual e às futuras gerações a necessária disponibilidade de água". Recentemente, o Conselho Nacional de Recursos Hídricos aprovou o Plano Nacional de Recursos Hídricos, com vistas a induzir o uso racional da água.
Tais instrumentos são importantes. Mas o Brasil ganhará muito se as escolas e as famílias ensinarem as crianças a não repetirem os desperdícios praticados pelos adultos. Comece hoje a ensinar seus filhos e netos. E, sobretudo, dê o bom exemplo. Afinal, para mudar hábitos, os exemplos e a educação são peças-chave.

Antônio Ermírio de Moraes. Folha de S.Paulo. 12 fev. 2006

GLOSSÁRIO
Aquífero: local que contém água.
Asseio: higiene, limpeza.
Avareza: qualidade de quem é obcecado por economizar e juntar dinheiro.
Escasso: disponível em pequena quantidade, pouco.
Estarrecido: espantado, chocado.
Franzino: magro
Manancial: nascente, fonte.
Promulgar: publicar oficialmente.


1. Qual é o assunto tratado no artigo de Antônio Ermírio de Moraes?

2. Qual é a posição apresentada no título? Justifique sua resposta com trechos do texto.

3. Do ponto de vista do autor, o que deve ser feito a respeito do desperdício de água?

4. Em que parágrafos essas ideias são expressas?

5. Observe

"É verdade que o asseio é uma das virtudes dos brasileiros e devemos conservá-la. Mas não há necessidade de ficar meia hora debaixo do chuveiro para manter a boa higiene."

a) Para convencer o leitor a respeito de sua opinião, o autor contrariou uma justificativa usada por muitos brasileiros para os banhos demorados. Identifique no trecho acima qual é essa justificativa.
b) Qual argumento o autor utilizou para refutar essa justificativa?

6. Abaixo, há duas opiniões diferentes a respeito do mesmo tema. Marque qual opinião o autor defende em seu artigo e qual ele contesta.

a) Todos os países precisam economizar água, pois ela é um bem muito escasso .
b) Somente os países que, ao contrário do Brasil, não dispõem de recursos hídricos abundantes devem se preocupar em economizar água.

7. Quais são os argumentos utilizados pelo autor para defender a ideia que você apontou na resposta à pergunta anterior?

8. Como o autor conclui o texto?

Gabarito

1. O desperdício de água no Brasil.

2. O autor é contra o desperdício de água. "Esse mau hábito não é novo"; "É uma soma fantástica e sinalizadora de muito desperdício"; "Trata-se de um luxo injustificável"; entre outros.

3. O consumo de água precisa ser racionalizado e o bom exemplo deve ser dado na escola e nas famílias no sentido de educar futuras gerações.

4. Essas ideias são expressas no sétimo e no nono parágrafos.

5. 
a) A justificativa é a de que somos um povo muito asseado (que valoriza a limpeza) e, por isso, gastamos bastante água.
b) O autor argumenta que é possível manter a boa higiene sem ficar meia hora no banho.

6. O autor defende a primeira opinião (a) e contesta a segunda (b).

7. O autor usa dados estatísticos para provar que a água é um bem escasso, apesar de aparentemente abundante, e lembra que, nas grandes aglomerações urbanas, os mananciais já não dão conta de atender a toda população.

8. A conclusão do texto convoca o leitor a contribuir para que a água passe a ser usada de forma mais racional. 
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...