Português 9º ano - interpretação com gabarito (Maneira de amar - Drummond)


Maneira de amar
Carlos Drummond de Andrade

O jardineiro conversava com as flores e elas se habituaram ao diálogo. Passava manhãs contando coisas a uma cravina ou escutando o que lhe confiava um gerânio. O girassol não ia muito com sua cara, ou porque não fosse homem bonito, ou porque os girassóis são orgulhosos de natureza. 
Em vão o jardineiro tentava captar-lhe as graças, pois o girassol chegava a voltar-se contra a luz para não ver o rosto que lhe sorria. Era uma situação bastante embaraçosa, que as outras flores não comentavam. Nunca, entretanto, o jardineiro deixou de regar o pé de girassol e de renovar-lhe a terra, na devida ocasião. O dono do jardim achou que seu empregado perdia muito tempo parado diante dos canteiros, aparentemente não fazendo coisa alguma. E mandou-o embora, depois de assinar a carteira de trabalho.
Depois que o jardineiro saiu, as flores ficaram tristes e censuravam-se porque não tinham induzido o girassol a mudar de atitude. A mais triste de todas era o girassol, que não se conformava com a ausência do homem."Você o tratava mal, agora está arrependido?" "Não, respondeu, estou triste porque agora não posso trata-lo mal. É a minha maneira de amar, ele sabia disso, e gostava." 

ANDRADE, Carlos Drummond de. A cor de cada um. Rio de Janeiro: Record. 1997.

LEIA TAMBÉM:
Interpretação 9ºano - Exercícios com respostas (descritor 1)


QUESTÕES DE INTERPRETAÇÃO

1. Ao atribuir sentidos ao texto, percebe-se que o jardineiro, em relação às flores:
a) cumpria friamente sua função de regá-las e de renovar a terra. 
b) conversava com elas como forma de disfarçar sua preguiça.
c) cumpria sua função com pouco interesse.
d) tratava-as como se fossem humanas.

2. O sentimento que o jardineiro nutria pelas flores:
a) era correspondido pelo girassol, à maneira dele.
b) não era correspondido pelas flores.
c) era correspondido pelo girassol, da mesma forma.
d) não era correspondido pelo girassol.

3. A expressão em destaque em “Chegar a voltar-se contra a luz.”, no texto, representa comportamento:

I - Diverso da natureza dos girassóis.
II - Próprio de qualquer girassol.
III - Próprio daquele girassol.
IV - Próprio de qualquer flor.

Marque a opção cujos itens estejam adequados: 
a) I e III.
b) I e II.
c) II e III.
d) III e IV.

4. O constrangimento causado pelo girassol:
a) provocava no jardineiro uma reação negativa.
b) fazia com que o jardineiro cuidasse da planta com má vontade.
c) era algo que provocava muita discussão entre as flores.
d) não provocava no jardineiro uma reação negativa.

5. De acordo com o texto, nota-se que o dono do jardim:
a) descobriu que o jardineiro não fazia coisa alguma.
b) não compreendia a relação que havia entre o jardineiro e as flores.
c) percebeu que o empregado maltratava as plantas.
d) não respeitava qualquer direito trabalhista do jardineiro.

6. As flores do jardim, após a demissão do jardineiro:
a) não se arrependeram de sua atitude omissa.
b) ficaram arrependidas, assim como o girassol.
c) sabiam que nada poderiam ter feito em relação à atitude do girassol.
d) arrependeram-se por terem sido omissas. 

7. A expressão “não ir muito com a cara”, utilizada no texto, encontra sentido semelhante na frase:

I - Não gosto muito dele, não!
II - O aspecto daquele alimento não é desagradável. 
III - Trata-se de pessoa por quem não tenho muita simpatia.
IV - Eu não o achava feio.

São coerentes as afirmações:
a) I e III.
b) II e IV.
c) I e II.
d) III e IV.

8. O comportamento do girassol causava uma situação bastante embaraçosa. Podemos identificar outra situação embaraçosa nas seguintes hipóteses:

I - Após apresentação, o ator recebeu com alegria os aplausos de uma plateia entusiasmada.
II - Ao começar o seu discurso, o Presidente foi vaiado em pleno auditório.
III - Durante a festa, os convidados se divertiram bastante.
IV - Durante a entrega do “Oscar”, protetores dos animais jogaram tinta no casaco de pele daquela famosa atriz.

a) I e II.
b) II e IV.
c) II e III.
d) III e IV.

09. Marque a alternativa em que a palavra em destaque possui a função morfológica de nomear algo ou alguém, sendo, portanto, classificada em substantivo:

a) “O jardineiro conversava com as flores e elas se habituaram ao diálogo.”
b) “O girassol não ia muito com sua cara, ou porque não fosse homem bonito...”
c) “Nunca, entretanto, o jardineiro deixou de regar o pé de girassol e de renovar-lhe a terra...”
d) “E mandou-o embora, depois de assinar a carteira de trabalho.