HISTÓRIA PEQUENA - Uma surpresa para Ariel


Uma surpresa para Ariel

Ariel se sentia um pouco triste. Sentada em uma varanda do castelo, ela olhava o mar. Mergulhada em seus pensamentos, ela não via Sebastião, Linguado e Sabidão, que se aproximavam. Como em cada manhã, eles iam visitar a amiga. 
— Novidades, minha pequena? — gritou Sabidão, aterrissando ao lado dela. — Ah! Você não parece contente! Diga, no meu ouvido, o que a incomoda e talvez eu possa ajudá-la. 
Ariel deu de ombros, mas confiou seu segredo à gaivota, que disse em seguida: 
— Vou deixá-los, amigos, eu devo partir, tenho una coisa urgente para resolver! Bye, bye! 
E ela voou rapidamente. Ariel, triste, rapidamente se despediu de seus amigos para entrar no castelo e fazer uma longa sesta. 
Quando acordou, já era noite. 
Boa noite, princesa — disse o príncipe Eric quando ela abriu os olhos, tenho uma surpresa para você. Coloque o seu mais belo vestido, vou levá-la a um lugar. 
Feliz com a atenção, Ariel se apressou para e preparar. 
— Você está magnífica - disse o príncipe, maravilhado, quando a princesa ficou pronta. — Feche os olhos e segure meu braço! 

— Mas aonde você vai me levar? — perguntou Ariel. — Para um passeio de barco? Ou é um banho de mar à luz do luar? 
Ela escutou cochichos e risos abafados. 
— Abra os olhos! — disse, em seguida, o príncipe. 
E foi o que Ariel fez ...
— Ohhhhhh! — ela exclamou ao descobrir o espetáculo. 
A varanda do castelo que ela conhecia havia sido transformada em uma pista de dança, onde estavam muitos convidados. E no mar, ao redor do cais, todos os habitantes do mundo submarino a aplaudiam, acomodados em lindas conchas peroladas ou empoleirados em algas verdes. Ela reconheceu suas irmãs, seu pai em sua carruagem puxada por golfinhos e todos os seus antigos amigos. 
— Eric — ela exclamou, batendo palmas —, você é maravilhoso! Obrigada! Obrigada! 
Mas como você sabia que nada no mundo me faria mais feliz quanto esse presente? 
— Você tem como amigo uma gaivota com uma língua bem grande... — respondeu o príncipe, rindo. — E amigos dispostos a tudo para vê-la feliz - ele acrescentou com uma piscadela para Linguado e Sebastião. — E agora, que a festa comece! 
Inútil dizer que a festa foi um sucesso e que eles se divertiram até o nascer do sol.