Modelo de prova de interpretação de textos 8ºano


Avaliação de Língua Portuguesa
Interpretação de Textos

Nome: ______________________________________________________ _______ série________


Habilidades: inferir uma informação implícita em um texto, identificar efeitos de ironia ou humor; identificar as marcas linguísticas que evidenciam o locutor e o interlocutor de um texto; interpretar texto com o auxílio de material gráfico diverso (propagandas, quadrinhos, fotos, etc.); identificar a finalidade de textos de diferentes gêneros;  reconhecer o efeito de sentido decorrente da exploração de recursos ortográficos e/ou morfossintáticos.;  reconhecer o efeito de sentido decorrente da escolha de uma determinada palavra;  distinguir um fato da opinião relativa a esse fato;  identificar o efeito de sentido decorrente do uso da pontuação e de outras notações.

 Leia um trecho de uma crônica de Antonio Prata e responda às questões 1 e 2.

[...] 
O silêncio foi quebrado pelo próprio Duílio. Ele me fez sentar no braço da poltrona e me contou a história inteira, respondendo a todas as perguntas que eu lhe fazia. Explicou que a perna fora cortada por causa de uma doença, mas que eu não deveria me preocupar, era uma doença que só dava em velho. A operação aconteceu num hospital. Não, ele não precisou ir de bermuda, porque no hospital você fica pelado e te dão uma camisola. Sim, uma camisola, mesmo para os homens. Depois de vesti-la, médicos deram-lhe uma injeção no braço e ele dormiu, de um jeito que você não sente dor e não acorda nem se pularem na sua barriga. Os doutores pegaram facas e um serrote e serraram - veja bem, serraram - a perna do seu Duílio. Aí é que vem a parte mais estranha: depois de tirarem a perna, não puseram um band-aid enorme, nem vários, nem esparadrapo, não: eles o costuraram, com agulha e linha, da mesma forma que minha mãe costurava pedaços redondos de couro nos joelhos dos meus moletons. A cor da linha era preta e seu Duílio não soube dizer se poderia ser azul, verde ou vermelha, caso ele assim preferisse. 
Queria passar a tarde inteira ali, sentado no braço da poltrona, seguindo com a entrevista, mas minha mãe logo me pôs no chão e me mandou para o quintal, onde estavam as outras crianças. [...] 

(“A perna do seu Duílio” Nu, de botas. São Paulo: Companhia das Letras, 2013. p. 82-3.) 

1. O texto, embora trate de assunto sério, apresenta humor, que decorre da: 

a) curiosidade do menino diante de um fato inesperado para ele. 
b) narrativa que a personagem faz de sua cirurgia. 
c) comparação entre a cirurgia e a costura que sua mãe fazia nos seus moletons. 
d) ordem da mãe para ir brincar com as outras crianças. 

2. É possível identificar, em todas as passagens a seguir, marcas indicativas de respostas a um entrevistador, com exceção de uma. Qual? 

a) "A cor da linha era preta e seu Duílio não soube dizer se poderia ser azul, verde ou vermelha, caso ele assim preferisse." 
b) "[...] médicos deram-lhe uma injeção no braço e ele dormiu [...]" 
c) "Não, ele não precisou ir de bermuda [...]" 
d) "Sim, uma camisola, mesmo para os homens." 


Observe as linguagens visual e verbal do cartum a seguir, de Gilmar, e responda às questões 3 e 4. 



3. Além de entreter o leitor, o cartum tem por finalidade: 

a) mostrar que, após o início das aulas, os pais ficam tristes com a ausência dos filhos. 
b) denunciar o peso do carrinho de compras com todo o material escolar. 
c) denunciar o peso elevado do material escolar no orçamento familiar. 
d) informar que os pais são obrigados a faltar ao trabalho para providenciar o material escolar e levar os filhos à escola. 

4. Releia a fala da personagem. Da forma como está redigida, com sinal indicador de crase em às aulas, entende-se que a dor é sentida pela personagem quando: 

a) as aulas voltam. 
b) a criança do carrinho de compras volta para a escola. 
c) as aulas são retomadas após o período de férias. 
d) alunos em geral iniciam suas aulas. 

Leia o texto a seguir, de Luis Fernando Verissimo para responder ao que se pede.  

O incrível e o inacreditável 

"Incrível" e "inacreditável" querem dizer a mesma coisa - e não querem, "Incrível" é elogio. Você acha incrível o que é difícil de acreditar de tão bom. Já inacreditável é o que você se recusa a acreditar de tão nefasto, nefário e nefando - a linha média do Execrável Futebol Clube. 

Incrível é qualquer demonstração de um talento superior, seja o daquela moça por quem ninguém dá nada e abre a boca e canta como um anjo, o do mirrado reserva que entra em campo e sai driblando tudo, inclusive a bandeirinha do corner, o do mágico que tira moedas do nariz e transforma lenços em pombas brancas, o do escritor que torneia frases como se as esculpisse. 
[...] 
Incrível é a graça da neta que sai dançando ao som da Bachiana nº5 do Villa - Lobos como se não tivesse só cinco anos, é o ator que nos toca e a atriz que nos faz rir ou chorar só com um jeito da boca, é o quadro que encanta e o pôr de sol que enleva. 
Inacreditável é, depois de dois mil anos de civilização cristã, existir gente que ama seus filhos e seus cachorros e se emociona com a novela e mesmo assim defende o vigilantismo brutal, como se fazer justiça fosse enfrentar a barbárie com a barbárie, e salvar uma sociedade fosse embrutecê-la até a auto destruição. 
Incrível, realmente incrível, é o brasileiro que leva uma vida decente mesmo que tudo à sua volta o chame para o desespero e a desforra. 
[...] 

5. Com a leitura do texto, entende-se que as palavras incrível e inacreditável: 

a) são empregadas, respectivamente, como aprovação diante de um fato e como reprovação diante de um fato. 
b) são derivadas de palavras com sentidos opostos, como crer e acreditar
c) são utilizadas, respectivamente, como censura e como elogio. 
d) tem o mesmo sentido, podendo ser usadas indiferentemente. 

6. Entende-se, pelos dois últimos parágrafos do texto, que a população do país: 

a) comporta-se de maneira uniforme diante dos problemas que a cercam. 
b) apresenta reações distintas diante das questões sociais que a afligem. 
c) reage de forma agressiva diante dos problemas que a afetam. 
d) em sua minoria, leva uma vida decente, sem desespero e sem revolta. 

Leia a tira abaixo, de Adão Iturrusgarai, e responda às questões 7 e 8. 


7. O humor da tira está: 

a) no livro com páginas em branco. 
b) no título do livro. 
c) no balão em branco como resposta do crítico. 
d) no fato de o crítico ler o livro que está em branco. 

8. Nas falas do autor do livro, os pontos de exclamação reforçam a ideia de: 

a) surpresa com a crítica. 
b) desinteresse por sua obra. 
c) expectativa com a crítica. 
d) entusiasmo por ter lançado seu livro. 

Leia o texto a seguir, de Liana John, e responda às questões 9 e 10. 

Amazônia - Planeta Verde 

[...] 

A NARRAÇÃO QUE EMPOBRECE 

A decisão de incluir voz na versão brasileira do excelente filme Amazônia rompe a conexão entre o espectador e o macaquinho protagonista. Rompe não, nem deixa que ela se estabeleça do modo como ocorre na versão original, exibida na Europa. A narração é excessiva e desnecessária e quebra o encanto de descobrir a selva com os mesmos receios e surpresas do animalzinho perdido. O sentido da audição se acomoda, não é aguçado. Em diversos momentos, inclusive, a narração encobre a ótima trilha sonora e o som ambiente caprichado. 
O resultado é uma inversão empobrecedora da experiência: enquanto na versão original a tendência é do público entrar na pele do macaquinho e vivenciar a floresta por meio da observação (em um 3D de verdade!), na versão brasileira é o macaquinho que se transveste de humano e faz uma leitura tagarela da selva. Em seus "pensamentos", ele chega inclusive a identificar diversas espécies com as quais se depara, com base no que teria visto na TV, em seu tempo de cativeiro. 
Em resumo, a narração atrapalha a imersão. E subestima a imaginação de nossas crianças. Uma pena mesmo". 

(Disponível em: http://viajeaqui.abril.com.br/materias/amazonia-resenha-do-filme. Acesso em: 15/6/2014.) 

9. Uma opinião da autora em relação ao objeto cultural criticado está presente em: 

a) "a narração encobre a ótima trilha sonora e o som ambiente caprichado". 
b) "na versão brasileira é o macaquinho que se transveste de humano". 
c) "ele chega inclusive a identificar diversas espécies [...] com base no que teria visto na TV, em seu tempo de cativeiro." 
d) "a narração [...] subestima a imaginação de nossas crianças. Uma pena mesmo ... " 

10. O uso de aspas na palavra pensamentos se justifica porque: 

a) pretende ressaltar essa palavra no interior da frase. 
b) a narração que acompanha as ações simula a reflexão do macaquinho. 
c) sendo irracional, o animal do filme não pensa. 
d) se trata da citação das palavras de outra pessoa. 

Leia o texto para responder à questão 11.
Na mosca!

Confira o desafio matemático proposto pelo Zíper – veja se consegue matar a charada

Meu amigo Dardobaldo não consegue passar uma tarde sem jogar dardos. De tanto ficar horas na frente dos alvos que prega na prega na parede do quarto, o garoto está tirando notas baixas no colégio. Sua maior dificuldade é com matemática!
Seu pai, sabendo que o filho ficaria muito triste se não pudesse mais jogar dardos, resolveu unir o útil ao agradável. Inventou um jogo de dardos no qual, para vencer, é preciso usar a matemática.
O objetivo é o seguinte: somar 100 pontos, usando quantos dardos quiser. Será que você encontra a reposta? Uma dica: comece tentando somar 50.

Disponível em: <http://chc.cienciahoje.uol.com.br/na-mosca/>. Acesso em: 01 de janeiro de 2016.

Os verbos grifados no texto estão no singular e indicam ações praticadas

a) pelo pai.
b) pelo filho.
c) por Zíper.
d) por você.


Leia o texto para as questões 12, 13 e 14.

Os cosméticos, o chocolate, o pão, os vitrais ou o fogo de artifício são produtos que resultam de espetaculares manifestações da química no quotidiano de todos nós. A química que se esconde por detrás de todas estas reações vai continuar a ser explicada na segunda temporada da série A Química das Coisas, na página oficial do projeto e noutros repositórios, ao ritmo de dois por semana. A iniciativa tem a chancela do Departamento de Química da Universidade de Aveiro (DQ), produção da Science Office e Duvideo e apresentação de Cláudia Semedo.
Os 13 novos episódios de A Química das Coisas continuam a debruçar-se sobre temas que fazem parte do dia a dia e demonstram como a química está presente nos mais inesperados objetos e produtos. Nesta segunda temporada da iniciativa, vão ser revelados, por exemplo, os segredos químicos das notas de euro, do fogo, dos artigos de desporto, dos instrumentos musicais, das piscinas, da pastilha elástica e até a importância daquela ciência na investigação criminal.
A fórmula de sucesso mantém-se; os episódios, de cerca de três minutos cada, foram produzidos a pensar no grande público e decifram, numa linguagem acessível e com recurso a explicações visuais apelativas, as mais complexas equações e ligações entre os compostos da tabela periódica. Para além dos episódios, professores e alunos poderão aceder no sítio http://www.aquimicadascoisas.org a todos os recursos produzidos para este projeto, designadamente vídeos, ilustrações científicas e textos, e encontrarão muito material que poderão utilizar nas salas de aula ou na preparação de trabalhos. 
Este projeto de divulgação de ciência está estruturado para multiplataformas. Além de ficar disponível no Facebook, no Twitter, no Youtube, no Vimeo e no Sapo Campus Vídeos, há ainda uma versão para iPad.

Site oficial: www.aquimicadascoisas.org
Facebook: www.facebook.com/AQuimicadasCoisas
Twitter: https://twitter.com/#!/quimicacoisas

12. A finalidade principal do texto é contribuir para a

a) fabricação de cosméticos, de chocolates e de pães.
b) produção de vídeos, de ilustrações científicas e de textos.
c) promoção do Facebook, do Twitter, do Youtube e do Vimeo.
d) divulgação dos 13 novos episódios de A Química das Coisas.

13. Os 13 novos episódios de A Química das Coisas

a) demonstram como a química está presente nos mais inesperados objetos e produtos.
b) são produtos que resultam de espetaculares manifestações da química no quotidiano.
c) poderão se acessados somente pelo Facebook, pelo Twitter, pelo Youtube, e pelo Sapo Campus Vídeos.
d) sofrerão alterações na segunda temporada, para que professores e alunos possam acessar o link http://www.aquimicadascoisas.org.

14. No segundo parágrafo do texto, o trecho “[...] que fazem parte do dia a dia [...]”
está se referindo à palavra

a) notas.
b) temas.
c) episódios.
d) segredos.



Gabarito:
1A | 2B | 3C | 4D | 5A | 6B | 7C | 8D | 9D | 10B | 11A | 12D | 13A | 14B
Referência: Português Linguagens - Editora Saraiva
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...