Atividade sobre gêneros literários e não literários



Texto 1 

Desistência 

O menino Tonho 
mexendo no lixo 
achou um sonho 
e pôs-se a sonhar. 

Com queijo de nuvens, 
bolachas de estrela, 
pastéis de luar. 

O sonho era duro 
e estava mofado. 
E ele desistiu 
de sonhar acordado. 

DINORAH. Maria. Barco de sucata. 
Porto Alegre: Mercado Aberto. 1986. 


Texto 2 

Pessoas e urubus disputam restos 

Em Belford Roxo, onde deveria existir a rodovia estadual RJ-040, urubus e gente disputam os detritos espalhados por um trator, sobre as margens de um riacho e de um mangue à beira da estrada. O mau cheiro é uma constante e a miséria é compreendida no pedido de Sebastião Mangueira, o Tião, que sobrevive dos restos produzidos, aos borbotões, pela sociedade de consumo. "Queria provar um pedaço de panetone. Nesta época do ano vejo um monte dessas caixas, mas nenhuma delas traz um pedacinho que seja. Deve ser muito bom", sonha o trabalhador, de 63 anos [...]. 

Disponível em: <www.anbio.org.br


1. Compare os dois textos. 

a) Em qual dos textos predomina a intenção de emocionar o leitor e em qual deles prevalece a intenção de informar? 
b) Em relação à forma, qual a diferença fundamental entre os dois textos? 
c) Qual dos dois textos você considera mais objetivo? Explique. 
d) O que há em comum entre os assuntos abordados nos dois textos? 

Ao elaborar um texto, o autor deve levar em conta alguns aspectos da situação comunicativa, pois isso é o que vai ajudá-lo a fazer as escolhas de linguagem. São eles: 

⦁ a intenção pretendida com o texto; 
⦁ o público a que o texto se destina (o interlocutor); 
⦁ a situação em que o texto será lido, ouvido ou apresentado; 
⦁ o contexto que determinou ou motivou a criação do texto. 

De acordo com a situação comunicativa, o autor produzirá um texto mais objetivo ou mais subjetivo. 
Se tiver caráter mais informativo, com fatos comprováveis, verídicos, observáveis, será um texto mais objetivo. 
Se for mais artístico, imaginativo, etc., será um texto mais subjetivo. 
Essas escolhas determinarão se o gênero textual é literário ou não literário. 

O texto não literário apresenta linguagem objetiva, clara, concisa, e pretende informar o leitor de determinado assunto. Para isso, quanto mais simples for o vocabulário e mais objetiva for a informação, mais fácil se dará a compreensão do conteúdo: foco do texto não literário. 
São exemplos de textos não literários: as notícias, os artigos jornalísticos, os textos didáticos, os verbetes de dicionários e enciclopédias, as propagandas publicitárias, os textos científicos, as receitas culinárias, os manuais, etc.

No texto literário, a expressividade é o mais importante. O conteúdo, nesse caso, fica em segundo plano. O vocabulário bem selecionado transmite sensibilidade ao leitor. O texto é rico de simbologia e de beleza artística. 
Podemos citar como exemplos de textos literários o conto, o poema, o romance, peças de teatro, novelas e crônicas.

O texto "Desistência", de Maria Dinorah, é um poema, um gênero literário.
O texto "Pessoas e urubus disputam restos", que faz parte de uma notícia, apresenta fatos comprováveis, verídicos: é um gênero não literário

2. Imagine um leitor para cada um dos textos e converse com os colegas: que tipo de leitor gostaria de ler o texto A e que tipo de leitor gostaria de ler o texto 2?

3. E você, como leitor, qual dos dois textos escolheria para ler primeiro? Explique por quê. 

Em um texto não literário, a ocorrência de rima pode ser considerada um uso inadequado da língua. Observe: 

Sem saber a razão da confusão, o rapaz correu, foi tomado por ladrão e acabou na prisão. 

Já no poema, que também pode ser chamado de texto literário, a rima é um dos elementos mais importantes para a construção da sonoridade, uma das características essenciais desse gênero. Observe: 

A rua das rimas
Guilherme de Almeida

A rua que eu imagino, desde menino, para o meu destino pequenino 
uma rua de poeta, reta, quieta, discreta, 
direita, estreita, bem feita, perfeita, 
com pregões matinais de jornais, aventais nos portais, animais e varais nos quintais; 
e acácias paralelas, todas elas belas, singelas, amarelas, 
douradas, descabeladas, debruçadas como namoradas para as calçadas; 
[...] 

ALMEIDA. Guilherme de. A rua das rimas. In: VOGT Carlos (Seleção). 
Os melhores poemas de Guilherme de Almeida. 3. ed.. São Paulo: Global. 2004. p. 60. 




Gabarito:

1. 
a) No texto 1, a intenção principal é emocionar, sensibilizar de forma poética. No texto 2, embora seja clara a intenção de sensibilizar o leitor, o principal objetivo é informar, comunicar um fato verídico. 
b) O texto 1 esta escrito em versos, e o texto 2 em linhas contínuas. Um é poema e o outro é prosa.
c) O texto 2, pois tem a intenção de informar com maior grau de objetividade, com mais precisão (é citado o lugar e o nome completo da pessoa envolvida).
d) O que há em comum é o tema/assunto: ambos tratam do sofrimento humano causado pela miséria e pela fome. 

2. Espera-se que os alunos compreendam que os leitores para textos diferentes, geralmente, têm gostos e necessidades também diferentes. Um leitor que goste de poemas poderá se interessar mais pelo texto A, um leitor interessado em textos informativos poderá ler o texto 2. Ressaltar que isso não é uma regra, pois um mesmo leitor pode se interessar por um ou por outro, dependendo do momento, de seus objetivos, da intenção e da circunstância em que está lendo o texto, etc.  

3. Resposta pessoal. 

** Lembrar aos alunos que, embora seja muito comum poemas apresentarem rimas. eles podem ser construídos também sem rimas. 
Levantar com eles as rimas que ocorrem no poema "A rua das rimas": imagino, menino, destino, pequenino,  poeta, reta, quieta, discreta; direita, estreita, feita, perfeita;matinais, jornais, aventais, portais, animais, varais, quintais; paralelas, elas, belas, singelas, amarelas, douradas, descabeladas, debruçadas, namoradas, calçadas. 




Referências: Projeto Teláris - Português (Editora Ática) 
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...