Adjetivos e advérbios - questões comentadas (concursos)


1. (Sen. Federal / Anal. Leg.) Assinale a alternativa em que a palavra indicada se classifica como advérbio.
a) ... funcionam de maneira mais livre...
b) ... lançar o mundo numa profunda recessão.
c) ... na promoção de uma melhor operação...
d) ... essas frases devem nos deixar algo perplexos.
e) ... após algumas décadas...

Comentários:
Na letra A, livre se refere a maneira (substantivo). É adjetivo (classe modificadora de substantivo que denota qualidade, condição, estado, característica), o que também ocorre nas alternativas B e C (profunda e melhor modificam os substantivos recessão e operação, respectivamente). Na D, algo se refere a perplexos (adjetivo). Se modifica adjetivo é advérbio (no caso, de intensidade). Na E, após é preposição.
Resposta: D.

2. (Sen. Fed. / Técn. Leg.) Assinale a alternativa em que se encontre um advérbio.
a) Os terríveis efeitos...
b) E, a partir de 1934,...
c) Menos de 18% do empréstimo foi amortizado...
d) ... declarando possuir não mais 7, mas 12 apólices...
e) ... os mercados desabaram no mundo inteiro.

Comentários:
Na letra A, terríveis se refere a efeitos (substantivo), com valor de adjetivo. Na B, partir é verbo. Na C, menos modifica a expressão que indica a porcentagem (numeral substantivo), com valor de indefinição (pronome indefinido). Já na opção D, a palavra mais se refere ao verbo possuir, é advérbio com ideia de tempo. Na E, inteiro modifica mundo (substantivo), é adjetivo.
Resposta: D.


Advérbios e locuções adverbiais - exercícios com gabarito

ADVÉRBIO
Palavra invariável que, fundamentalmente, modifica o verbo exprimindo uma circunstância (tempo, lugar, modo etc.). Pode ainda o advérbio modificar o adjetivo ou outro advérbio. 

Observe os exemplos:
Trabalhamos muito.
Aqui, o advérbio modifica um verbo, indicando-lhe ideia de intensidade. É o advérbio de intensidade.

Homem muito bom.
Nesse caso, o advérbio também traz valor de intensidade, só que, desta vez, modificando o adjetivo bom.

Fala muito bem.
Por fim, um exemplo de advérbio que modifica outro advérbio (bem), também com valor de intensidade.

Conclusão: embora na maioria das vezes o advérbio modifique um verbo, ele pode também se referir a um adjetivo ou a um advérbio.

LOCUÇÃO ADVERBIAL
Formada, normalmente, de preposição mais substantivo com valor e emprego de advérbio.

Exemplo:
Ele saiu às pressas.
Nesse caso, a expressão às pressas refere-se ao verbo sair indicando circunstância de modo: é a locução adverbial de modo.

Atenção! Não confunda a locução adjetiva com a locução adverbial. Embora as duas tenham, em geral, a mesma estrutura (substantivo + adjetivo), a primeira se refere a um substantivo e a segunda, a um verbo.

Veja os exemplos a seguir:
A casa de madeira foi construída.
A casa foi construída de madeira.

A locução de madeira, na primeira frase, modifica o substantivo casa e, no segundo, a locução verbal foi construída. Daí, na primeira frase, ela élocução adjetiva e na segunda, locução adverbial.


RESUMINDO
Adjetivo é classe que se refere a substantivo. Qualifica, caracteriza. É classe variável.
Advérbio é classe que modifica verbo, adjetivo ou outro advérbio. Indica circunstância (tempo, lugar, intensidade...). É invariável.

Na dúvida, tente flexionar a palavra, mandá-la ao plural ou ao feminino. Se for advérbio, não variará. Só não proceda assim para diferenciar as locuções adjetivas das adverbiais. A tendência é a de as locuções, de um modo geral, não variarem.

Resumo e contexto de Dom Casmurro


Sobre o autor
Machado de Assis conseguiu como poucos desentranhar dos acontecimentos políticos de seu tempo o significado humano mais profundo. Assim, o ambiente aparentemente pacífico da vida institucional brasileira da segunda metade do século XIX escondia a violência da escravidão e do sistema de troca de favores que norteava a relação entre ricos e pobres. Ao falar do Brasil, Machado desnudava o ser humano em sua miséria moral. E construía a obra mais genial de nossa literatura.

Importância do livro 
A temática da traição, presente em Dom Casmurro, é instigante por si só. A traição conduz o ser humano aos limites da racionalidade e à beira da perda da razão. No entanto, o traço fundamental da obra é o questionamento da verdade, entendida como um dos edifícios do realismo a que o próprio escritor pertencia. A intensidade desse diálogo – com o tempo, com as emoções humanas e com a arte – faz de Dom Casmurro um romance de releituras sempre proveitosas. 

As marcas mais evidentes do estilo machadiano estão presentes no livro: a digressão (suspensão da narrativa para o desenvolvimento de reflexões paralelas), a metalinguagem (discurso sobre a própria arte) e o diálogo com o leitor, quase sempre conduzido com fina ironia. 

Período histórico
O Brasil da segunda metade do século XIX era uma economia em formação e em transformação. O estabelecimento de bases capitalistas relativamente modernas convivia, e conviveria ainda por muito tempo, com a persistência de hábitos e pensamentos conservadores.

RESUMO DE DOM CASMURRO

Autor Dom Casmurro: Machado de Assis 

Ano Dom Casmurro: 1889

Título Dom Casmurro: o título é explicado pelo protagonista quando se apresenta ao leitor como o narrador dos acontecimentos. Não há uma significação própria.

Ambientação Dom Casmurro: a história passa no Rio de Janeiro durante o Segundo Império. Segundo o professor do Cursinho da Poli Roberto Juliano, o que realmente importa efetivamente é o que se passa no mundo interior de cada personagem.

Enredo Dom Casmurro: o enredo conta a história de Bentinho, narrador-protagonista, desiludido da vida, que se torna recluso em si e passa a ser reconhecido como Casmurro. Jovem, vive com sua mãe, D. Glória, seus tios, Justina e Cosme, e José Dias, o agregado.

Personagens principais Dom Casmurro: as personagens principais são Capitu, Dom Casmurro Bentinho, D. Glória (mãe de Bentinho), José Dias, Escobar e Ezequiel.

Linguagem Dom Casmurro: é acadêmica: clássica, bem cuidada, regida pelas normas de correção gramatical. Em alguns pontos, porém, registra aspectos típicos da linguística popular. 

Como estudar fazendo RESUMOS (dicas)


Cada pessoa se adapta a diferentes métodos de estudo. Aquilo que funciona perfeitamente para você pode não ter tanto a ver com seu colega. Entretanto, os resumos para estudar permanecem como uma das maneiras mais populares e eficientes de absorver e compreender informações.

Mesmo assim, muitos estudantes não sabem como realmente aproveitar ao máximo o potencial apresentado pelos resumos. Não basta simplesmente ler o conteúdo, fazer algumas anotações sobre ele, conferir o que você escreveu e pronto! É preciso planejamento, estratégia e disciplina.

Pensando nisso, apresentamos as melhores dicas para você utilizar resumos para estudar de forma eficiente e prática. 

1. FAÇA RESUMOS ENQUANTO LÊ O TEXTO ORIGINAL
Para garantir a máxima absorção e compreensão do texto original, o resumo deve dizer exatamente aquilo transmitido no que você está lendo/ouvindo/assistindo, apenas de maneira diferente e mais sucinta.

Portanto, é interessante que você faça seus resumos para estudar enquanto lê o material original, e não depois de terminar tudo. Leu um parágrafo? Resuma-o. Terminou o próximo parágrafo? Resuma-o. E assim por diante.

Não está seguro de que compreendeu todo o trecho após a primeira leitura? Então, leia-o de novo e de novo, quantas vezes for necessário, até que ele faça sentido para você. Somente aí você deve tentar resumi-lo e reformulá-lo! Caso contrário, cometer erros de interpretação e acabar fazendo resumos incorretos torna-se uma perigosa possibilidade.

Dessa maneira, você vai resumir com o texto ainda fresquinho na sua memória, preservando também o desenvolvimento natural do assunto e garantindo um resumo mais organizado e eficiente.

2. RESUMA DE VERDADE
Muitos estudantes têm dificuldades em conseguir efetivamente resumir um conteúdo. Às vezes, eles podem acabar com resumos quase tão extensos quanto o original! Isso, é claro, acaba com o propósito da estratégia de estudo.

O recomendado é que o resumo tenha cerca de 25%, ou 1/4, da extensão do material original. Mantendo isso ao longo de todo o seu processo de estudos, você garantirá resumos concisos, que vão direto ao ponto e, portanto, são fáceis de revisar e entender.

Para tanto, é eficiente também destacar algumas palavras-chave do seu resumo com caneta marca-texto. Isso guiará sua compreensão do material, especialmente se você quiser apenas dar uma estudada rápida, fazendo uma leitura dinâmica.

3. USE SUAS PRÓPRIAS PALAVRAS
Não há necessidade de você copiar o estilo do autor, ou mesmo de usar palavras no mesmo grau de “dificuldade” ou formalidade. Muito pelo contrário! Quanto mais você usar suas próprias palavras, melhores serão seus resumos para estudar.

Afinal, eles não são ótimos apenas como maneira de revisão posterior. Os próprios atos de repensar o texto, buscar outras formas de dizer aquilo e de escrever as informações no papel ou computador ajudam muito na absorção e entendimento do conteúdo.

Sendo assim, será por meio das suas palavras que você poderá montar resumos que soem naturais, compreensíveis e interessantes para os seus estudos.

Caso haja alguma frase muito específica, em que as palavras do autor representam absolutamente a melhor maneira de explicar tal ponto, copie-as integralmente entre aspas. Aí, anote de onde você tirou o trecho para que, mais tarde, possa voltar a encontrá-lo.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...